AFBNB 33 anos: Em defesa das instituições de desenvolvimento

173

Ao longo de sua história a AFBNB manteve um trabalho ininterrupto pela criação e fortalecimento de mecanismos e órgãos que atuam pelo desenvolvimento da Região. Acompanhe ações da entidade nesse sentido em mais um texto da série sobre os 33 anos da Associação.

Os anos FHC foram de ataques aos trabalhadores com fortes reflexos no BNB, através da Gestão Byron Queiroz, porém um novo tempo iniciava para os trabalhadores do Banco em 2003. Durante o período de transição governamental, após a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva, a AFBNB constituiu um Grupo de Trabalho que elaborou um estudo, tendo culminado com diagnóstico do BNB apontando diretrizes para a futura gestão. O documento foi entregue à equipe do então presidente e apresentado à sociedade como contribuição para a mudança na Instituição.

Nas suas ações institucionais acompanhou acompanhou a tramitação do Projeto de Lei de recriação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) no Senado Federal. Assim, em 2005, em parceria com a AABNB e com o próprio Banco, a Associação passou a realizar mobilização e interlocução junto a parlamentares da bancada nordestina, com o objetivo de defender as emendas que favorecessem as instituições de desenvolvimento regional e sugerir a supressão daquelas consideradas desfavoráveis.

Como resultado dessas ações, o BNB foi mantido no Conselho Deliberativo da Sudene e continuou como operador exclusivo do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), além de passar a ser operador do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE).

AFBNB, há 33 anos ao lado dos trabalhadores

A AFBNB firme, com autonomia e resistência

Gestão Unidade e Luta

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome