AFBNB apresenta demandas ao presidente do Banco

900

Na manhã da última quarta-feira (dia 18), a AFBNB se reuniu com o presidente do BNB, Romildo Rolim, para apresentar demandas dos associados. Pela Associação participaram a diretora-presidente, Rita Josina Feitosa, e os diretores Assis Araújo e Dorisval de Lima.

A Associação buscou o diálogo com o Banco no intuito de solicitar a adoção de medidas que favoreçam a prevenção ao Coronavírus nas dependências do Banco e apresentou demandas de associados com relação ao assunto. Entre elas, sugestões enviadas por um grupo de técnicos de campo e agentes de desenvolvimento que foi bem recebida pelo gestor do Banco, tendo ele se comprometido em apreciar juntamente aos superintendentes das áreas.

O Banco informou que tem seguido os protocolos, estando inclusive tomando medidas inéditas comparativamente aos bancos, como a liberação do trabalho de grávidas e trabalhadores acima de 60 anos; o caso de mães que amamentam está sendo analisado caso a caso; que todos os funcionários que retornaram de viagens ao exterior ficam sumariamente em quarentena; e que os demais casos não constantes nas orientações gerais deverão ser tratadas pontualmente com as gestões.

Quanto a um possível mutirão de trabalho nas Centrais em dia de sábado, denúncia que foi feita a diretores da Associação, o presidente afirmou não se tratar de direcionamento geral e informou que repassaria internamente a orientação de não convocação para qualquer mutirão, e que casos excepcionais devem ser feitos mediante pagamento de hora extra.

Os diretores da AFBNB sugeriram medidas para evitar aglomerados nas agências, a exemplo da distribuição de senhas e controle da quantidade de pessoas no ingresso às unidades e alternativas às datas de vencimento de boletos.

Outra demanda apresenta pela AFBNB foi com relação aos compromissos financeiros dos trabalhadores da ativa e aposentados do BNB, como a suspensão do CDC e antecipação da PLR, cobradas pela AFBNB anteriormente por ofício. O presidente informou que a suspensão dos CDCs por 60 dias será assegurada nos moldes da política de crédito para Pessoa Física do BNB; no entanto, a antecipação da PLR depende da realização da Assembleia de Acionistas.

Na reunião, a AFBNB abordou também as principais ações institucionais no que se refere a projetos de lei que trazem propostas de alterações do FNE; indagou sobre perspectivas de convocação de aprovados do último concurso – que no momento está sem previsão, segundo o Banco – e sobre a realização de PID, tema que o Banco informou estar em estudo.

A AFBNB tratou com o presidente do BNB, no mesmo dia após a reunião, sobre a possibilidade de antecipação dos tíquetes – a qual foi analisada, e referida viabilidade comunicada aos trabalhadores na manhã de hoje (20).

Não custa reforçar: esse momento de pandemia por si só é delicado e tenso, não devendo ser agravado com a divulgação de notícias falsas no ambiente de trabalho ou da sociedade. A AFBNB está dialogando com os trabalhadores, o Banco, demais entidades e enviando ofícios ao Procurador Geral do Trabalho, Presidentes da Câmara e Senado e demais autoridades reforçando a necessidade urgente de fechamento das agências bancárias, com a garantia dos serviçoes essenciais, no sentido de evitar propagação do vírus pelas aglomerações e resguardar a saúde e a vida da categoria e dos clientes, considerando que a transmissão no Brasil já é considerada comunitária.

O papel individual na prevenção à contaminação é fundamental!

Coronavírus:   Estamos todos juntos nessa mobilização!

Gestão História e Autonomia para lutar: a AFBNB em ação, sempre!

 

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns à AFBNB pela tempestiva atuação em prol dos funcionários do BNB neste momento tenso do Coronavírus.

Deixe uma resposta para Julio Cesar Fernandes - F076619 Cancelar comentário

Comentário
Seu nome