Bancários não aprovam a reforma da Previdência

18

A imensa maioria dos bancários (88%) da base do Sindicato da Bahia é contra a reforma da Previdência. É o que mostra pesquisa feita pela entidade e apresentada pelo economista Vinícius Lins, durante palestra feita aos participantes da Conferência e do Congresso, na tarde deste sábado (01/06).

O entendimento é que a proposta prejudica o trabalhador, dificultando o acesso à aposentadoria. Verdade. O projeto do governo Bolsonaro eleva a idade mínima para 65 anos – homens – e 62 anos – mulheres. Para receber o benefício integral, o cidadão terá de contribuir por 40 anos.

Entre os bancários que responderam à consulta, 90,6% são contra essas mudanças. Para 72,3%, uma parcela mínima dos trabalhadores vai conseguir se aposentar com 100% do benefício e 72,6% acreditam que a população mais pobre e as mulheres serão as mais prejudicadas, caso a reforma seja aprovada nos moldes apresentados pelo governo.

A maioria (94,6%) não concorda com a redução dos valores dos benefícios para os idosos mais pobres, assim como 96,4% acreditam que a reforma vai aumentar a desigualdade no Brasil.
Os bancários também opinaram sobre a capitalização e 81,1% rejeitam. Por fim, 88% entendem que será pior para os mais pobres. O modelo reduz ainda mais o valor da aposentadoria, o que vai levar milhões de brasileiros à pobreza. Apenas os bancos serão beneficiados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome