Curso de integração de novos funcionários: AFBNB participa e reforça convite ao engajamento

83

A AFBNB participou ontem (dia 4) do curso de integração de novos funcionários, no Centro de Treinamento do BNB, em Fortaleza, representada pelos diretores Assis Araújo e Dorisval de Lima e pelos conselheiros fiscais Henrique Moreira e Tércio Sobral.

Os dirigentes fizeram um breve resgate da história e das lutas da AFBNB e contextualizaram os novos funcionários acerca dos desafios atuais tanto nas questões institucionais, que dizem respeito diretamente à própria existência e funcionamento do Banco, quanto nas questões trabalhistas. O convite ao engajamento, à luta e à mobilização foi reiterado a todos os presentes, tanto de forma direta quanto por meio do fortalecimento e do acompanhamento das ações das entidades representativas dos trabalhadores.

Tércio citou algumas ameaças diretas ao Banco e aos seus corpo funcional, dando como exemplo a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 119/2019), apresentada no mês passado pela senadora Kátia Abreu, que permite, pelo período de 15 anos, que um terço dos recursos dos Fundos Constitucionais do Norte (FNO), do Nordeste (FNE) e do Centro-Oeste (FCO), possam ser tomadas pelos governos dos estados dessas regiões.

“Quem vai a campo defender o BNB são as entidades representativas, que faz um trabalho de formiguinha”, destacou Assis, ressaltando a importância de todos saberem que a AFBNB é uma entidade que tem o viés de luta, da defesa institucional e da valorização dos trabalhadores.

Henrique resgatou a luta que originou a Associação: a busca por recursos estáveis para o BNB, que resultou na criação dos fundos constitucionais, momento histórico que teve a participação direta da Associação. “O FNE trouxe o Banco para uma nova realidade”, citando a importância do Fundo para o financiamento de grandes e pequenos empresários.

Dorisval destacou a autonomia e independência da Associação e o acompanhamento e a atuação constante na pauta do desenvolvimento regional. Ele falou da próxima Reunião do Conselho de Representantes da AFBNB, que será dias 16 e 17 próximos e trará em sua programação uma audiência pública no Congresso Nacional sobre esse tema, para “fazer contraponto à narrativa falaciosa que se instaurou no país de que o que é público não presta”. O diretor de comunicação ressaltou, ainda, a importância dos trabalhadores se organizarem “porque a avalanche de contradições da relação capital/trabalho é grande”.

A AFBNB, firme, com resistência e autonomia!

Gestão Unidade e Luta

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome