Desmonte de estatais deixa país de mãos atadas

50

O fatiamento e a redução dos bancos públicos deixará o Brasil de mãos atadas e a população refém dos bancos privados. As instituições são fundamentais para o crescimento do país, inclusive em momentos de crise financeira como a de 2008 que quebrou a economia de diversos países no mundo.

As políticas públicas desenvolvidas por BB, Caixa, BNDES ficarão para escanteio dando lugar aos interesses dos bancos privados. Santander, Bradesco e Itaú não escondem que estão de olho nas operações controladas pelos públicos. Inclusive, os presidentes das empresas já deram diversas declarações à imprensa sobre o assunto.

Tudo isso compromete programas como Minha Casa Minha Vida que gera milhões de empregos na construção civil e permite que milhões de pessoas tenham moradia.
Diante das ameaças, cada vez mais reais, é essencial que a sociedade esteja unida e pronta para pressionar contra o desmonte. A defesa do Brasil passa pela defesa das empresas públicas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome