Editorial – O BNB e o Nordeste

68

Editorial do Jornal O Povo de domingo abordou o descaso do governo federal com o Nordeste, destacou a importância dos instrumentos diferenciados de desenvolvimento, como as instituições regionais e os fundos constitucionais, e destacou a luta que os trabalhadores do BNB têm feito na defesa do Banco, citando a audiência pública realizada na Câmara Federal, por iniciativa da AFBNB. Confira:

O BNB e o Nordeste

A política do governo federal em relação ao Nordeste oscila entre o desconhecimento e o desprezo, este representando pelo próprio presidente da República ao chamar de “paraíbas” todos os governadores da região. Não que a palavra seja um insulto em si, mas é a forma pejorativa como todos os nordestinos – independentemente do estado de origem – são tratados pelos preconceituosos em alguns lugares do Sul e Sudeste.

O desconhecimento, por sua vez, é demonstrado pelo fato de alguns mecanismos e instituições voltados para o desenvolvimento nordestino estarem sempre sob a
espada de Dâmocles. Em sendo assim, é preciso estar vigilante para que esses mecanismos estejam protegidos de ingerências indevidas, que possam descaracterizá-los ou extingui-los.

Destaque-se, assim, a movimentação dos funcionários do Banco do Nordeste (BNB) que se mobilizam para defender a instituição e salvaguardar o Fundo Constitucional do Nordeste (FNE) de possíveis desvios de suas finalidades. Na próxima terça-feira, audiência pública será realizada na Câmara dos Deputados sobre a política nacional de desenvolvimento e o papel dos bancos públicos.

Seria interessante que a equipe econômica do governo, especialmente o ministro Paulo Guedes, acompanhassem a audiência a fi m de ampliarem os seus conhecimentos
sobre o Nordeste, o que poderia despertar-lhes a sensibilidade ao observarem que desenvolvimento do País está umbilicalmente ligado a cada uma de suas regiões.

Ou seja, não se construirá um Brasil mais justo sem que a prosperidade alcance a todos os brasileiros. Portanto, a defesa do BNB tem o apoio vigoroso deste jornal que, desde a sua fundação, sempre se manteve ao lado dos melhores interesses do Nordeste, independentemente de ocasionais governos. E vai persistir nessa mesma linha,
inscrita em sua Carta de Princípios: “A defesa dos interesses regionais e o combate ao subdesenvolvimento constituem a projeção natural das expectativas dirigidas para a consolidação de um pacto federativo justo e harmonioso”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome