No BNB, nada de pré-acordo. É só conversa

155

Em mais uma rodada de negociação com o Banco do Nordeste, a representação dos funcionários cobrou a assinatura de um pré-acordo e da amplitude da pauta de reivindicações para todos. Mas, nada feito.

Na reunião desta segunda-feira (06/08), assuntos do encontro passado voltaram à mesa, como a revisão do PCR (Plano de Cargos e Remuneração). A empresa disse que está com o estudo que foi realizado em 2013.

Presente na negociação, a diretora do Sindicato dos Bancários da Bahia, Jeane Marques, disse que sobre a Camed, o BNB informou que a situação foi passada para a Caixa de Assistência dos Funcionários e que ainda esta semana haveria reunião com a diretoria para tratar do assunto.

Em relação à situação em que os bancários acometidos por doenças ocupacionais que são considerados aptos pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e inaptos pela instituição, o BNB ficou de verificar a viabilidade de criar uma regra, já que hoje são analisados os casos individualmente.

Para a reivindicação por novas contrações, operacionalização do Credi e Agro Amigo e fim da terceirização, o banco afirmou ter o compromisso com o aumento das vagas e solicita a autorização para realizar um novo concurso. No entanto, está condicionado ao SEST/Planejamento.

A Comissão solicitou os abonos das faltas em período de greve e reversão dos reflexos das ausências, a empresa ficou de analisar.

A mesma resposta foi dada para as ausências legais. Foi destacada a necessidade de ampliação dos dias para levar filhos ao médico, licença-paternidade de 180 dias e ausência para exames particulares.

No caso da CAPEF, a representação dos funcionários reforçou a questão da paridade e da eleição de um diretor pelos associados. Hoje, são apenas conselheiros fiscais e deliberativos eleitos. Uma reunião com a Caixa de Previdência está agendada.

Sobre o PAS (Programa de Assistência Social), a reivindicação é pela necessidade de ampliação no atendimento e do estabelecimento de um padrão. Atualmente existe uma apelação para o fundo de demanda diferenciada para casos específicos, mas que existem limites para essa concessão.

1 COMENTÁRIO

  1. Há muito tempo que vem faltando habilidade de negociação por parte da Comissão que representa os funcionários do BNB. Os ultimos acordos específicos assinados demonstram total ineficiência e submissão por parte desta comissão à diretoria do Banco. A necessidade de oxigenação dos representantes dos empregados é latente, pois nós funcionários já não nos sentimos representados.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome