O BNB, os trabalhadores e a sociedade exigem respeito!

580

A propósito do episódio recente que envolve a mudança na gestão do Banco do Nordeste do Brasil(BNB), a AFBNB mais uma vez vem a público para manifestar entendimento contrário à forma de tratamento desrespeitosa que é dada à Instituição, aos seus trabalhadores e à sociedade, sobrepondo-os ao  sabor das conveniências politiqueiras e de  interesses mesquinhos de e por quem tem o poder de mando para tal – o Governo Federal. Tal situação soa inoportuna e desnecessária, pois só  traduz a miopia quanto à natureza, essência e objetivos que permeiam o existir do BNB. Além disso, ocasiona vulnerabilidade e instabilidade, haja vista estar em total descompasso com o momento porque passa a Instituição, sem quaisquer desgastes ou questionamentos técnicos ou de qualquer outra natureza que justifiquem o ato.

No contexto da grave pandemia da Covid 19 que ceifa a vida de milhares de trabalhadores a cada dia, que exige mais do que nunca a ação de políticas publicas e sociais, de forma lamentável e sem a devida responsabilidade, o BNB  é jogado a incertezas com a exposição e repercussão negativa na mídia, afetando sobremaneira a sua dinâmica institucional. Trata-se de prática reprovável, que  deve ser veementemente combatida na perspectiva de que seja abolida de uma vez por todas. Como registra a história, os resultados dessa atávica cultura politiqueira nem sempre  desembocam em situação confortável, por ser dissonante e inadequado para o perfil do Banco quanto ao seu papel social e missão para a qual foi criado.

A AFBNB reedita, por considerar oportuno, necessário e coerente, texto elaborado por um dos seus dirigentes, datado de 2018, produzido em circunstância semelhante, o qual traduz o pensamento da Entidade quanto ao assunto em questão, sendo esta a abordagem institucional feita em diversas ocasiões ao longo da sua trajetória de  34 anos de luta quando instada a fazê-lo. (veja abaixo)

Assim como tem procedido, a  AFBNB seguirá firme na defesa do BNB e dos trabalhadores e na luta por um Banco cada vez mais forte e cumpridor do seu papel. Neste sentido vai intensificar as ações  pelo seu fortalecimento e garantia de recursos estáveis, além da manutenção do atual modelo de gestão do FNE, de exclusiva operacionalização pelo BNB, na compreensão de que o Fundo constitui uma imprescindível ferramenta de política regional de desenvolvimento, razão maior da existência do Banco.

O BNB, os trabalhadores e a sociedade merecem respeito!  A Associação repudia veementemente o uso do BNB como moeda de troca; como barganha no mercado rasteiro da velhíssima política do “toma lá, dá cá”, que não serve às demandas de quem realmente  precisa dos serviços da Instituição, mas sim de quem vê a  mesma como um mero intrumento das suas pretensões imediatas.

***

Artigo – Por respeito ao BNB e à sociedade!

16/11/2018

*Por Dorisval de Lima

O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) é uma Instituição de desenvolvimento. É um órgão do estado constituído com recursos da sociedade para, por meio da sua ação de crédito especializado e diferenciado, atender a essa sociedade no combate às desigualdades.

Com o histórico de mais de seis décadas nesta linha de atuação, em cumprimento da sua missão institucional, o Banco não pode ser instrumento da pobreza política (da velha forma de fazer política) como tem sido veiculado na imprensa, inclusive com registro de confrontos entre pretensos “padrinhos” para a indicação de nomes para gestão. A estes, sugere-se uma consulta à Constituição Federal, onde poderão aprender qual é o papel do BNB, o conjunto de valores e princípios que devem nortear a gestão, e por óbvio o perfil de quem deve estar à frente da instituição.

Terão a oportunidade de entender que, bem diferente dos seus interesses mesquinhos, há uma história de serviços prestados à sociedade; história esta levada a efeito por homens e mulheres de todas as gerações que marcaram e marcam a trajetória do Banco e que, por isto, merecem e exigem o devido respeito. Poderão, enfim, aprender que o BNB não é moeda de troca nem objeto da parafernália politiqueira, mas, sim, Agente de Desenvolvimento de toda a área em que atua.

*Dorisval de Lima é diretor de comunicação e cultura da AFBNB

Confira abaixo mais notas já divulgadas pela Associação sobre o assunto:

Artigo: BNB NÃO É MOEDA DE TROCA!

Por respeito, a AFBNB reafirma: O BNB não é moeda de troca

Em defesa do BNB: instabilidade plantada, a quem interessa?

Artigo: “O BNB é bem maior”

Instabilidade política: a Associação reafirma defesa do BNB e dos trabalhadores

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome