Trabalhadores bancários, vamos dizer Basta!

204

A campanha salarial dos bancários nunca foi fácil, afinal, nenhum direito ou benefício é conquistado sem luta! Esse ano está sendo ainda mais difícil. Mudanças na legislação e a aprovação de novas leis – como os danos provocados pela reforma trabalhista e pela lei da terceirização – favorecem o patrão de uma forma nunca vista.

O reflexo disso é mostrado no processo de negociação em andamento. Além de não avançar nas cláusulas, não garantir a ultratividade (garantia das cláusulas vigentes até a assinatura do próximo acordo), a proposta dos banqueiros chega a ser surreal: um acordo com validade para 4 anos; nada além da inflação, apenas  a reposição do índice baixíssimo – que não condiz com a realidade de queda de poder de compra; além da postura dissimulada da Fenaban de que não pretendem contratar terceirizados, no entanto se negam a inserir como cláusula no acordo.

As assembleias da categoria realizadas essa semana em todo o Brasil estão rejeitando a proposta patronal (banqueiros/Governo). Outros encaminhamentos tirados nos fóruns dos trabalhadores foi  a inserção das bandeiras de luta da campanha salarial no Dia do Basta, que será realizado em todas as cidades do Brasil, amanhã (dia 10 de agosto); mobilizações contra cortes em direitos sociais, bem como fortalecer a luta contra as Resoluções 22 e 23 da CGPAR, que atacam os planos de saúde das empresas estatais. Uma frente é o apoio ao Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 956/2018, de autoria da deputada Erika Kokay (PT-DF), que busca sustar a medida (acesse aqui e vote contra a Resolução). Já no dia 15 de agosto, haverá manifestação em Brasília contra as resoluções, em frente ao Ministério da Fazenda, em Brasília.

A AFBNB se soma às lutas gerais dos trabalhadores e em especial à dos trabalhadores do Banco do Nordeste do Brasil (BNB), mobilizando e participando de reuniões e atos em defesa dos direitos e sempre alertando que a pauta da campanha salarial não deve se limitar às cláusulas econômicas. No BNB, as demandas específicas (falta de isonomia, casos de assédio, reintegração dos demitidos, problemas nas concorrências, falta de transparência em alguns processos, sistemas, infraestrutura de agências, dignidade de saúde e previdenciária dentre outros), antigas e novas, minam a força de trabalho e o ânimo das pessoas e precisam ser tratadas também nas mesas de negociação.

Dia do Basta

Em Fortaleza, a concentração para as manifestações do Dia do Basta será na Praça da Bandeira, no centro da Cidade, a partir das 9h. A AFBNB estará presente, como esteve em todos os atos e protestos da classe trabalhadora e contra os desmandos do atual governo federal. Em algumas cidades, a abertura das agências será atrasada em 1h.

Participe você também! Informe-se no sindicato de sua base quanto ao local e horário, convide colegas de trabalho, familiares e integre-se. Vamos dizer Basta!

Fortaleça sua entidade. Filie-se! 

Confira os locais e horários dos atos confirmados (fonte: CTB e CUT)

Maranhão

Passeata pelas ruas do centro de São Luís até a avenida Cajazeiras
Concentração às 6h em frente a Universidade Federal do Maranhão

Bahia
Salvador, concentração às 8h30, em frente ao mercado modelo

Ceará
Fortaleza, praça da Bandeira, na região central, a partir das 9h

Goiás
Goiânia, concentração na esquina das av. Anhanguera e Tocantins, às 16h, e caminhada até a praça do Centro Universitário

Minas Gerais 
Belo Horizonte, ato público na praça da Estação, das 7h às 9h e panfletagem no centro das 16h às 18h30h

Pará
Belém, mercado de São Brás, às 17h

Paraná
Curitiba, 
Fiep, às 11h

Pernambuco
Recife, na praça da Democracia Derby, às 15h

Rio Grande do Sul
Porto Alegre, Fecomércio, às 8h

Rio de Janeiro
Rio de Janeiro, Na Praça XV, às 16h, diversos atos menores e paralisações estão marcados ao longo do dia.

São Paulo
São Paulo, em frente à Fiesp, às 10h

Sergipe
Aracaju, praça General Valadão, às 15h

Piauí
Teresina, concentração Praça Rio Branco, 8h

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome