Mais de 90% dos bancários estão com desgaste emocional

37

Palestra no Encontro Estadual afirma que é preciso combater o modelo de gestão dos bancos e as metas.

24/06/2024 às 07:57
Ascom/SEEB-MA

O SEEB-MA promoveu uma palestra sobre a saúde do(a) trabalhador(a) bancário(a) no sábado (22/06), durante o II Encontro Estadual 2024, na Sede Administrativa do Sindicato, na Rua do Sol, Centro de São Luís. Na oportunidade, a doutora em psicologia do trabalho, Alda Karoline, apresentou dados alarmantes sobre a categoria.

“O modelo de gestão dos bancos na atualidade, em especial, a cobrança abusiva de metas tem levado os bancários ao adoecimento psicológico, que atinge dos escriturários até os gerentes” – afirmou.

De acordo com a pesquisa SmartAtlas, de 2012 a 2022, 39,4% dos afastamentos registrados entre os bancários decorreram de problemas mentais e comportamentais. O setor financeiro, inclusive, é responsável por 94,1% dos auxílios do tipo acidentário concedidos pelo INSS, informa o estudo.

Reações ao estresse (18,1%), transtornos de ansiedade (12%), episódios depressivos (8,45%), depressão recorrente (4,05%) são os principais problemas enfrentados pelos(as) bancários(as) em decorrência do trabalho explorador nos bancos.

A pesquisa aponta ainda que as principais vítimas do adoecimento são os escriturários (80,7%), os gerentes de contas pessoa física e jurídica (8,03%), os caixas (5,93%), os gerentes administrativos (1,28%), os gerentes de agência (1,09%) e os supervisores (1,0%).

“Mais de 90% dos bancários entrevistados apontaram desgaste emocional por causa de suas atividades laborais, o que representa um sinal de alerta para a categoria, tendo em vista que este é um dos sintomas iniciais da Síndrome de Burnout” – revelou a palestrante.

Esse desgaste psicológico advém principalmente da cobrança por resultados e da fiscalização do desempenho nas agências, sendo agravado pelas péssimas condições de trabalho e pelas relações com as chefias e com os demais colegas, que costumam não ter empatia com o(a) trabalhador(a) adoecido(a).

Para a Dra. Alda, o adoecimento bancário deve ser combatido em diversas frentes. Na Campanha Salarial, por exemplo, é preciso cobrar o fim das metas e a melhora do ambiente de trabalho, reivindicações que constam na pauta do SEEB-MA, que será entregue à Fenaban nesta quarta-feira (26/06).

Além disso, é importante promover campanhas para conscientizar a categoria acerca do adoecimento, que não é individual, mas generalizado; intensificar a fiscalização nos locais de trabalho; investir em programas de saúde emocional, a exemplo do Escuta Clínica desenvolvido pelo SEEB-MA; e criar uma ampla rede de apoio, a fim de acolher o(a) bancário(a) adoecido(a).

“É preciso ainda estreitar os laços, mostrar solidariedade com o próximo, combater essa competitividade dentro dos bancos. Não pode mais existir esse ‘salve-se quem puder’ para bater metas. Caso contrário, toda a categoria vai adoecer. A nossa vida é mais importante do que o lucro do bancos. Pela saúde dos bancários, vamos à luta” – finalizou a diretora Lívia Morais.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome