AFBNB participa do seminário “Políticas Públicas de Igualdade de Gênero no Século XXI”, no Ceará

248



Foto: Sintaf


A AFBNB participou, representada pela sua presidenta Rita Josina, na manhã da última sexta-feira, 27, do seminário “Políticas Públicas de Igualdade de Gênero no Século XXI”, promovido pelo Sindicato dos Fazendários do Ceará (SINTAF). O debate comemorou o Mês da Mulher,  homenageando-a  e trazendo reflexões sobre a importância de sua luta ao longo da história.


Dividido em três painéis, o evento contou com quatro palestrantes, referências nos temas pautados. O primeiro deles, intitulado “Políticas Públicas de Igualdade de Gênero no Século XXI”, foi conduzido por Mônica Barroso, defensora pública e coordenadora estadual de Políticas Públicas para as Mulheres, e por Luciana Maia, professora doutora em Psicologia Social e membro do Laboratório de Estudos sobre o Trabalho – LET. Elas defenderam a ideia de que a emancipação da mulher é um processo que ainda acontece de forma lenta, sobretudo devido ao caráter cultural, mas que é necessário encontrar formas de resistências.


No segundo momento, a abordagem foi de Kelly Aguiar, diretora da escola de filosofia Nova Acrópole Fortaleza. “O ideal feminino”, assunto central do painel, tratou das diferenças que de fato existem entre homens e mulheres, a exemplo das biológicas, mas que esses fatores não podem tornar-se determinantes para justificar as desigualdades entre os dois universos. Finalizando as discussões, Manoel Fonseca, médico e escritor, à frente do livro “Benditas e guerreiras: Tributo ao feminino na História”, contextualiza a luta das mulheres ao longo da história, destacando figuras que revolucionaram, com sua forma de se relacionar socialmente, o seu tempo.


Para a AFBNB, o evento se faz importante, entre outras razões, por trazer e agregar temas relevantes para a luta da mulher, além de ser uma oportunidade de diálogo. Com essas vivências, a entidade acredita somar-se à luta pela isonomia de tratamento entre os segmentos sociais e, assim, fortalecer essa causa, no bojo das ações por melhores condições de vida da sociedade.


Só a luta muda a vida!


Source: Notícias – 600

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome