Artigo: BNB, rumo aos 70 anos, por Romildo Rolim

27
Refletir sobre os 69 anos do Banco do Nordeste, criado em 19 de julho de 1952, remete ao papel da Instituição como o banco de desenvolvimento da Região e agente do Governo Federal na operação de políticas públicas capazes de minimizar as desigualdades regionais. Neste sentido, destacam-se os impactos da ação da empresa na economia do País e da Região, assim como no bem-estar das famílias nordestinas. Exemplo é a estimativa de geração ou manutenção de 1,4 milhão de empregos nos nove estados da Região e no norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, como resultado da aplicação, em 2020, de R$ 25,8 bilhões em recursos oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), seu principal funding.
Romildo Rolim
Presidente do Banco do Nordeste do Brasil (BNB)
 (Foto: Divulgação)
Foto: Divulgação Romildo Rolim Presidente do BNB

Por meio do Fundo, já foram investidos, ao longo de 32 anos, aproximadamente R$ 349 bilhões na economia regional.

O Banco do Nordeste cumpre seu dever de casa ao liderar o financiamento a microempreendedores por meio do Crediamigo. Na posição do último dia 30 de junho, o maior programa de microfinança urbana da América do Sul tinha 2,41 milhões de clientes ativos para uma carteira de R$ 7,57 bilhões. O BNB lidera também o crédito rural em sua área de atuação, com participação de, em média, 55% de todos os financiamentos rurais, apesar de contar somente com 8% da rede bancária, além de conferir atenção especial ao Semiárido, área prioritária nas aplicações do Banco.

Ciente de seu papel, o Banco do Nordeste inova, ainda, com ações como o Programa de Desenvolvimento Territorial (Prodeter), voltado para fortalecer cadeias produtivas; e com a atuação do Hub de Inovação, o primeiro de uma instituição financeira no âmbito da administração pública federal.

O Banco do Nordeste está integrado a programas importantes do Governo Federal, como o Plano Safra, que fomenta políticas sustentáveis no agronegócio; e o AgroNordeste, que impulsiona o desenvolvimento social sustentável no meio rural. São realizações alicerçadas na ética, na integridade, no compliance e na promoção de valores de Environmental, Social and Governance (ESG) que guiam o Banco do Nordeste na caminhada para se tornar uma instituição septuagenária, respeitada pelos nordestinos e fortalecida por seus parceiros.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome