Bancários conseguem retirar ataques ao BNB e ao Basa da MP 1052

10
 

bnb e basa f207e

A força da mobilização do movimento sindical bancário conquistou mais uma vitória importante nesta quinta-feira (14/9). Após muita pressão, os sindicatos conseguiram retirar do texto da Medida provisória (MP) 1052, a diminuição da taxa de administração a que têm direito os bancos públicos por gerenciarem os recursos dos fundos constitucionais.

A MP foi aprovada na Câmara dos Deputdos nesta quinta, mas mantém as taxas nos mesmos moldes de antes. A MP, que já tinha força de lei, previa a diminuição da taxa a partir de julho deste ano, passando de 2,1% para 1% em 2021. Em 2022, seria de 0,9%, e assim sucessivamente até ficar em 0,5% a partir de 2026. Volta, portanto, para 2,1% em 2021. Mas, essa mudança foi revertida.

A diminuição da taxa de adminsitração dos fundos constitucionais colocava em risco a sobrevivência do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e do Banco da Amazônia (Basa) que são instituições fundamentais para o desenvolvimento das regiões Nordeste e Norte, exatamente as mais carentes de recursos no país.

Sem estes recursos, o BNB e o Basa não teriam como continuar financiando as pequenas empresas e micro empreendedores individuais, além da agricultura e a pecuária. Um prejuízo enorme para o Brasil.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome