Centrais repudiam declaração de Eduardo Bolsonaro

72

As centrais sindicais emitiram nota em repúdio às declarações do filho do presidente e líder do governo na Câmara Federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que ameaçou implantar um novo AI-5 para reprimir as forças do campo democrático, popular e as lutas sociais.

O documento ressalta que “a fala covarde e irresponsável do filho do presidente da República é mais uma ‘cortina de fumaça’ utilizada para tentar abafar as relações nada republicanas da família Bolsonaro com as milícias”.

Para as centrais sindicais, deve ser aberto o processo no Conselho de Ética da Câmara Federal, com intuito de apurar a conduta inconstitucional do deputado, além de aplicar as punições cabíveis. A nota ainda ressalta que “a conquista da democracia no Brasil demandou o sacrifício de inúmeros brasileiros e brasileiras”.

O Ato Institucional número 5 foi instituído, no final de 1968, pelo general Artur da Costa e Silva para perseguir e calar as organizações e personalidades que faziam oposição ao regime militar. Ainda abriu caminho para que o Congresso Nacional fosse fechado, além de suspender garantias constitucionais, cassar mandatos, realizar intervenção nos sindicatos, prisões, assassinatos e tortura de opositores.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome