Diretor do Sindipetro Ceará tem contrato de trabalho suspenso pela Petrobras por críticas em redes sociais

27

Em uma atitude de perseguição a um dirigente sindical, marca da atual gestão da empresa, a Petrobrás suspendeu o contrato do petroleiro e sindicalista Wagner Fernandes e afirmou que, por ter estabilidade sindical, deverá ajuizar ação para demissão por justa causa.

[ATUALIZADO DIA 26/05, às 13h: Demissão política de diretor do Sindipetro CE-PI repercute nacional e internacionalmente]

A desculpa usada pela empresa é patética, críticas que o Fernandes fazia em rede social contra uma outra empresa “parceira”. As centrais, federações e outros sindicatos já foram informados.

Em áudio, o presidente do Sindipetro CE/PI, Iran Gonçalves, disse que era uma atitude “fascista e criminosa que tem consonância com o que pensa o Governo Federal”. A assessoria jurídica do Sindipetro CE/PI já tomou providências.


Confira o relato do trabalhador

Boa noite pessoal,Informo aos colegas que a partir de hoje, 22/05, não estou mais como funcionário da Petrobrás.
Meu contrato de trabalho foi suspenso, em plena pandemia, com vistas à minha demissão. A partir de hoje, não tenho mais salário, direitos e nenhuma proteção social. Como tenho estabilidade sindical, a empresa estará ajuizando ação para demissão por justa causa.O grande motivo? Criticar em redes sociais a política e diretoria de uma “empresa parceira”. Não cita qual é essa empresa. Mas deve ser aquela que demitiu minha esposa, doente e na véspera de natal.Não me surpreendo, sabemos os objetivos desse governo. Sabemos o que eles querem perseguindo dirigentes sindicais. Embora, eu esteja há menos de 3 meses como tal.Espero que a Justiça seja feita e eu possa voltar ao convívio dos meus amigos. Até lá, guardarei com amor o meu crachá. Não é agora que vamos deixar de lutar por uma Petrobrás soberana, integrada e voltada ao povo brasileiro.
Abraços, e sigamos com muita luta!
Wagner Fernandes
Diretor do Sindipetro Ceará/Piauí

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome