NOTA DE ESCLARECIMENTO – GREVE GERAL

316


O Sindicato esclarece aos bancários que:


1 – A data da Greve Geral, 28 de abril, foi acordada entre as centrais sindicais – CUT, CSP Conlutas, CTB, Força Sindical, Intersindical, NCST -, e não por este Sindicato. Entendemos também que poderia ter-se escolhido outro dia que não véspera de “feriadão”, mas tivemos que acompanhar para mantermos unidade nessa pauta;


 


2 – Em todas as reuniões feitas nas agências e unidades bancárias, o Sindicato esclareceu muito bem que os bancos efetuarão descontos referentes àquele dia de greve, com todas as repercussões negativas sobre vários direitos;


 


3 – Entendemos que a proposta de reforma da Previdência é extremamente danosa, assim como as da Terceirização e Trabalhista, em curso. O prejuízo financeiro e social será absurdamente maior e irreversível para os trabalhadores e para a sociedade. Se os bancários, assim como outros trabalhadores, pensarem apenas na questão econômica imediata – desconto de 1, 2, 3 ou mais dias no salário e em outras rubricas – serão facilmente atropelados por esse projeto neoliberal predador do Governo Temer, a serviço do mercado sob o comando do Pato da Fiesp.


 


Por fim, com relação aos descontos referentes à Greve Geral, o Sindicato recorrerá à Justiça no sentido de revertê-los e evitar prejuízo financeiro aos bancários. Estamos cumprindo todo o rito legal – publicação dos editais, comunicação à FENABAN, aos bancos estatais e à população através de notas nas TVs e rádios – para a deflagração do movimento paredista. O momento exige, em primeiro plano, a consciência classista de cada trabalhador e a luta pela causa coletiva em detrimento dos interesses individuais.  


Source: SAIU NA IMPRENSA – 500

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome