Programa de Incentivo ao Desligamento – AFBNB reafirma luta por dignidade previdenciária

259

O Banco comunicou aos funcionários, na noite de ontem (dia 20), a realização de videoconferência na próxima segunda-feira (dia 24) para o lançamento do que denomina “Programa de incentivo ao desligamento”. Na mensagem não é feita qualquer alusão aos detalhes da referida política.

Mesmo antes do anúncio do evento, e principalmente após, a AFBNB tem sido procurada pelos funcionários do Banco indagando sobre informações precisas, haja vista os crescentes boatos. A Associação reitera que não é prudente se pautar por comentários ou boatos de qualquer natureza e sobre qualquer matéria. Assim, para fazer valer esse princípio e em atenção às demandas, encaminhou diversos ofícios ao Banco com esse objetivo, sem, no entanto, ser correspondida positivamente. O silêncio tem sido a resposta.

Quanto ao mérito da questão, a Associação ratifica o posicionamento já externado diversas vezes, tanto por pronunciamento dos Dirigentes, quanto por meio de documentos, ofícios encaminhados ao Banco e matérias disponibilizadas nos seus veículos de comunicação: qualquer medida adotada pelo Banco neste mister não pode se ater ao aspecto eminentemente indenizatório. Para além disso, é urgente apontar na perspectiva do restabelecimento da Dignidade Previdenciária (e de saúde). Isso passa fundamentalmente pela recomposição do Benefício do plano BD para os trabalhadores que têm esse direito. No mesmo sentido, é importante também promover medidas que asseguram a qualidade de vida e de saúde financeira do funcionário após cessar a vida laboral no Banco, o que infelizmente não é permitido hoje diante da realidade salarial insatisfatória, principalmente o valor do benefício calculado para a aposentadoria.

Ao tempo que ratifica a necessidade de uma política previdenciária digna, a AFBNB lamenta que uma matéria tão complexa esteja sendo tratada como uma política “mais do mesmo” do velho neoliberalismo, levada a cabo durante o período Fernando Henrique Cardoso (PDV), cujo “saldo” não foi nada satisfatório para os trabalhadores. Substituir uma política positiva de recomposição da previdência complementar por um “programa de incentivo a demissão” é no mínimo uma confirmação dos equívocos do passado, além de representar um atestado do fracasso da política de Recursos Humanos por parte do Banco e do governo, pois reduz o que poderia ser o reconhecimento e a valorização de quem dedicou os melhores dias da vida ao trabalho e ao cumprimento da missão institucional a um mero “pacote de cifras” como a nomenclatura sugere (PID), além de descartá-los à própria sorte.

Não obstante essas considerações a Associação respeita a decisão individual de adesão ou não ao plano. Mas ressalta que antes deve ser feita uma análise sobre o benefício e custo da decisão para o futuro, principalmente focando o bem estar social como premissa.

A AFBNB foi convidada formalmente a participar da videoconferência. Assim, por dever de ofício e em representação dos seus associados confirma participação. No entanto, registra que caso tenha oportunidade, exporá a todos este entendimento em defesa dos direitos, do reconhecimento e da valorização dos seus representados.

Por Dignidade Previdenciária e de Saúde.

AFBNB – Gestão Autonomia e Luta.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome