Sudene amplia rede de apoio institucional ao Projeto de Desenvolvimento Federativo

29
Iniciativa foi apresentada ao Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e o Instituto Nacional do Semiárido (INSA), instituições que irão compor a força-tarefa proposta pela Sudene no projeto.

Instituições parceiras participaram de videoconferência, na qual a equipe da Sudene detalhou ações do projeto.

Recife (PE) – Mais duas instituições federais passaram a apoiar o Projeto de Desenvolvimento Federativo, projeto da Sudene de apoio técnico aos municípios mais carentes da área da autarquia. Durante videoconferência realizada ontem (07/04) na sede da autarquia em Recife, o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e o Instituto Nacional do Semiárido (INSA) foram convidados pelo superintendente, general Araújo Lima, e acenaram positivamente para compor força-tarefa que vai estruturar ações de assistência a essas localidades. O Ministério do Desenvolvimento Regional também participou do encontro.

“Buscamos convergir ações para economizar tempo e recursos. Somar esforços para ter um resultado bem mais positivo e eficaz”, explicou o superintendente Araújo Lima. O Projeto de Desenvolvimento Federativo é mais uma iniciativa da Sudene que integra o esforço de interiorização do desenvolvimento regional proposto pela autarquia em seu planejamento estratégico para o exercício atual.

O objetivo da Sudene é atuar de maneira mais intensa e próxima dos municípios que apresentam índices sociais mais desafiadores, ao mesmo tempo em que também registram dificuldades relacionadas à administração pública, sobretudo nos aspectos relacionados a finanças, desenvolvimento de pessoal e elaboração de projetos.

Nesta fase inicial de implementação do Projeto de Desenvolvimento Federativo, a Sudene selecionou 66 municípios, sendo cinco localidades das regiões intermediárias de cada um dos estados na área de abrangência da autarquia, além de um município-polo que integra a rede da estratégia territorial de implementação do Plano Regional de Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). Estes arranjos são chamados de células de desenvolvimento federativo De acordo com o superintendente da Sudene, a composição de uma força-tarefa institucional busca criar uma convergência de ações a partir das capacidades técnicas de cada organização e direcioná-las às necessidades identificadas em cada grupo de cidades.

O diretor de infraestrutura hídrica do DNOCS, Joaquim Izídio Neto, e a diretora do INSA, Mônica Tejo, elogiaram a iniciativa da Sudene e colocaram as instituições à disposição para contribuir com a autarquia. Soares Júnior, Diretor do Departamento de Desenvolvimento Regional e Urbano do Ministério do Desenvolvimento Regional, destacou a aderência da metodologia aos objetivos da Sudene com o projeto. O gestor do MDR afirmou que o programa Rotas de Integração pode ser um instrumento para estruturar arranjos produtivos já existentes e viabilizar outros que podem ser identificados juntos aos municípios que integram a iniciativa da Sudene.

Nos próximos dias, a Sudene realiza novos encontros com outras instituições para ampliar a rede de apoio do Projeto de Desenvolvimento Federativo. Uma vez consolidada, a autarquia dará início a uma série de eventos presenciais nos polos de cada agrupamento de municípios.

Por Agnelo Câmara

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome