AFBNB encaminha ofícios com demandas ao Banco

287


Nos últimos dias, a AFBNB encaminhou ofícios ao Banco do Nordeste do Brasil (BNB) com diversas demandas que têm chegado à Associação.


 


O ofício AFBNB 062/2016 (leia na íntegra aqui), de 3 de junho, direcionado à Diretoria de Tecnologia da Informação e Administrativa, questiona e solicita informações acerca da suposta suspensão das promoções, que pegou funcionários de surpresa da pior forma possível.  No documento, a Associação solicita dessa diretoria informações a respeito da matéria, bem como transparência em todos os processos relacionados aos trabalhadores, sobretudo no que impacta diretamente na vida laboral dos mesmos. E acrescenta: “Não obstante essa reivindicação pontual, lembramos a necessidade urgente de tratamento adequado e positivo para o conjunto das questões que dizem respeito aos seus recursos humanos, muitas das quais se arrastam há anos.” 


 


Outro ofício direcionado à  mesma Diretoria foi o 2016/066 (leia aqui na íntegra), de 10 de junho de 2016, sobre endividamento dos funcionários. 


Por diversas vezes o assunto foi pauta da Associação, que sempre enfatizou que essa realidade decorre de vários fatores, principalmente da insipiência financeira contida no Plano de Cargos e Remuneração vigente, bem como das perdas salariais acumuladas ao longo de anos, que nem de longe têm sido repostas pelos índices de reajuste praticados na data-base da categoria.  No ofício, é feita essa contextualização e ressaltada a urgência de uma política que não seja paliativa,  mas que de fato solucione esse grave problema que afeta a  vida de muitos.


 


Direcionado ao presidente do Banco, Marcos Holanda, o ofício AFBNB 2016/067 (leia aqui na íntegra), também de 10 de junho, solicita audiência para tratar das várias demandas e pendências relacionadas ao funcionalismo do BNB, muitas delas postergadas por décadas. O texto afirma que a esssa pendências “se somam questões do dia a dia, que influenciam negativamente na qualidade de vida do trabalhador e, consequentemente, na vida laboral dele, o que, por sua vez, impacta no desempenho da instituição”. 


 


No documento, a AFBNB destaca também problemas institucionais, como o próprio momento político e econômico pelo qual passa o país e fatos como as denúncias de irregularidades em operações do BNB que têm repercutido na imprensa. Para a Associação, um ano à frente do Banco – completado em maio passado – é tempo suficiente para se apropriar dos principais percalços pelos quais passa a instituição.


Até o fechamento dessa edição do Nossa Voz Extra o Banco não respondeu a nenhum dos ofícios. Seguimos aguardando tanto as providências quanto as respostas aos documentos enviados.


 


Source: Notícias – 400

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome