AFBNB se reúne com presidência do BNB e pauta demandas trabalhistas e institucionais

247



A AFBNB esteve na tarde de ontem (dia 23) reunida com o presidente do Banco do Nordeste do Brasil, Marcos Holanda, e com os diretores Isaías Matos e Francisco Soares – respectivamente da diretoria administrativa e de tecnologia da informação e de desenvolvimento sustentável – além do assessor Nilton Almeida. Pela Associação participaram a presidenta Rita Josina Feitosa da Silva, os diretores Assis Araújo, Dorisval de Lima, Waldenir Brito, Francisco Ribeiro Lima (Chicão), José Frota de Medeiros e o conselheiro fiscal José do Egito. Participou também a funcionária do Etene, Silvana Batista, a  convite da diretoria.


Os dirigentes da Associação entregaram um ofício (leia aqui) no qual constam pontos relevantes tanto do ponto de vista institucional quanto das relações de trabalho, os quais necessitam de encaminhamento urgente por parte da administração do Banco. Documento semelhante foi entregue ao presidente do Conselho de Administração, em reunião ocorrida em Brasília na semana passada. Na oportunidade a Associação entregou também a cartilha “Nordeste, sem ele não há solução para o Brasil”, a qual contém uma série de fundamentações da entidade sobre o desenvolvimento regional, do Banco do Nordeste, bem como questões que dizem respeito às demandas dos funcionários do Banco. Bandeiras históricas como dignidade previdenciária (recuperação do plano BD-Capef), isonomia de tratamento, revisão do Plano de Cargos e Salários, reintegração dos demitidos, quitação de passivos trabalhistas, entre várias, integram o conjunto das demandas constantes do documento; o livro “Por um Nordeste Melhor – proposta de estratégias de desenvolvimento regional” e as últimas edições do jornal Nossa Voz, inclusive a edição com a cobertura completa da 48ª RCR realizada em Brasília.


Em relação à luta institucional desenvolvida pela AFBNB, o Presidente reconheceu a importância da atuação da Associação e falou da parceria que deve existir nas ações em defesa do Banco e da região.


O bloqueio dos emails enviados pela AFBNB aos endereços institucionais dos funcionários foi um dos pontos abordados durante a reunião. Os diretores reivindicaram o restabelecimento desse canal ao que o presidente do Banco não fez nenhuma objeção. A Associação aguarda agora o restabelecimento do acesso e considera de grande importância a reversão dessa medida, além da criação de um canal direto com o presidente para dar mais agilidade às demandas apresentadas.


A AFBNB ressaltou a necessidade de fortalecimento das áreas de desenvolvimento, a exemplo do Etene e reivindicou que as questões funcionais sejam tratadas com prioridade, sobretudo devido ao fato do BNB ser um banco de desenvolvimento. Assim ratificou a necessidade do atendimento às demandas que se arrastam há anos, sem a devida solução.


Foram colocadas questões que ainda necessitam de aprimoramento, a exemplo do processo de concorrência interna. A AFBNB foi enfática ao afirmar sua defesa pela valorização do cargo, mas não se exime dos debates em torno das funções em comissão. Neste sentido,  defende que os critérios de comissionamento sejam motivadores, transparentes, democráticos e isentos. “Os trabalhadores precisam ter segurança e confiança no processo a que estão se submetendo”, afirmaram os dirigentes. Eles citaram casos em que os funcionários substituem há anos mas que não são efetivados; outros em que a necessidade de reposição se constitui um fator  excludente, o que mostra que há falhas no processo de concorrência que precisam ser superadas.


Em sua fala, o presidente do BNB mostrou concordância quanto à melhoria da infraestrutura das agências, necessidade que a AFBNB tem acompanhado de perto. Ele reconheceu ser importante expandir as agências e da mesma forma melhorar ou adequar as condições das que já estão em funcionamento.


Isonomia de tratamento foi outro assunto tratado, no sentido amplo: entre gerações, entre benefícios e entre unidades – agências e direção geral. A AFBNB citou a diferença nas condições de trabalho entre essas instâncias e a opinião do presidente do BNB convergiu. Para ele,  a direção geral deve funcionar como atividade meio e não atividade fim, portanto, deve ser suporte às agências e não o contrário.


Sobre a cobrança por eleição para escolha de representante de trabalhadores no Conselho de Administração, o Banco informou que o processo foi aberto, já tendo sido indicado o representante do BNB para compor a comissão que coordenará os trabalhos e que está pendente a indicação do movimento sindical para a comissão. A AFBNB destaca que na reunião realizada em abril deste ano, com o ex-presidente Nelson,  essa informação já havia sido socializada (relembre matéria aqui) e que  no dia seguinte àquela reunião, a AFBNB encaminhou o nome de seu indicado – o diretor de comunicação Dorisval de Lima – por meio do ofício AFBNB 77/2015.


Na mesma perspectiva de cobrar melhorias, a Associação falou da urgência em se instalar um ponto eletrônico eficaz  no sentido de atender à jornada de trabalho;  do alto endividamento dos trabalhadores – sobre esse último assunto, o Banco informou que está sendo estudada uma proposta; e da problemática do Plano BD, ocasião em que a AFBNB falou da atual impossibilidade de uma aposentadoria digna, e que os representantes do Banco reconheceram que esse é desafio, assim como a saúde dos trabalhadores.


Para a AFBNB, a reunião foi positiva na medida em que expôs presencialmente ao gestor maior do BNB as bandeiras pelas quais luta no dia a dia. Os assuntos tratados continuarão sendo acompanhados até que seja dado o devido tratamento. A Associação entende que a gestão do BNB precisa implementar ações, solucionar demandas e utilizar mecanismos  que motivem seu quadro de funcionários para essa missão nobre que é contribuir para o desenvolvimento da região.


AFBNB ao lado dos trabalhadores!


Gestão Autonomia e Luta


 


 


Source: Notícias – 500

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome