AFBNB se reúne com Superintendência do Ceará

166

Apresentar demandas da base e fortalecer os canais de diálogo com a gestão do Banco. Foi com esses objetivos que a Associação dos Funcionários do BNB (AFBNB) se reuniu com a Superintendência do BNB no Ceará na última quinta-feira (dia 7/4). Pelo Banco, participaram o Superintendente Livio Tonyatt, o gerente de escritório Gustavo Henrique de Farias e a gerente executiva Tereza Pereira. Pela AFBNB, a diretora-presidente Rita Josina Feitosa e os diretores Assis Araújo e Dorisval de Lima.

Na pauta, problemas estruturais em agências do Estado, clima organizacional, atendimento e políticas de crédito, processos internos com ênfase nas concorrências, comissionamentos e descomissionamentos e questões pontuais de trabalhadores.

Rita Josina destacou o papel da Associação na defesa do Banco e de seu principal instrumento de crédito (o FNE) e ratificou essas reuniões como importantes espaços de troca e diálogo para melhoria dos processos e instrumentos do Banco.

O Superintendente falou sobre mudanças ocorridas este ano na estrutura das Superintendências do CE, BA e PE, entre elas a chegada do GERAT – antes subordinada à Superintendência de Recuperação de Crédito; a migração dos GSNs para gerentes de negócio e a criação da função de gerência de escritório, equivalente à gerência de agência M3. Segundo Livio Tonyatt, a nova estrutura permite ao superintendente otimizar o tempo e estar mais próximo às agências.

Quanto à melhoria na estrutura das agências, Lívio informou que está em andamento uma ação de reforma geral, reforma parcial e realocação de agências, sendo as prioritárias para a reforma geral as unidades de Quixeramobim e Tauá; para reforma parcial, Montese e Sobral e realocação as agencias Fortaleza Centro, Parangaba, Caucaia, Itapipoca, Maracanaú e Juazeiro.

A AFBNB demandou a necessidade de melhoria nos processos de crédito (CDC’s), em relação à burocracia e exigência de avalista para aposentados etc., e o Superintendente se comprometeu em conversar com as respectivas superintendências destacando que alguns procedimentos estão sendo implementados no contexto do Centro de Negócios Digitais (CND).

Outra pauta apresentada pela Associação foi a importância dos instrumentos e processos e da transparência, ferramentas essenciais que contribuem para um clima de trabalho adequado. Nesse sentido, a Associação citou casos pontuais de assédio moral e descomissionamentos injustificados, que causam insegurança nos trabalhadores. Os gestores do BNB afirmaram que buscam maneiras de estimular a participação, de forma dinâmica e isonômica para o adequado preenchimento das funções.

Segundo o Superintendente, houve mudanças nas gerências gerais de algumas unidades visando adequação dos perfis gerenciais. Para ele, o respeito aos trabalhadores deve ser um dos pilares do BNB, assim como o atendimento de excelência aos clientes é o crédito bem feito, do contrário, pode ser fator de empobrecimento para o cliente, o que não é o objetivo do Banco. Rita Josina questionou o fato de os trabalhadores se esforçarem, capacitarem, preencherem vários requisitos para concorrer a uma função e após o efetivo exercício, vir a passar por um descomissionamento algumas vezes sem as devidas justificativas. Ela ponderou que os processos avaliativos precisam ser, antes de tudo,  acompanhados de feedbacks enquanto instrumentos de melhoria do desempenho.

Rita Josina enfatizou a luta da AFBNB por um Banco onde as pessoas possam se sentir tranquilas no exercício de suas atividades e colocou a Associação à disposição para o diálogo, sempre na perspectiva de contribuir para o fortalecimento do BNB enquanto instituição de desenvolvimento, o que passa necessariamente por trabalhadores valorizados e o reconhecimento da atuação do Banco na sociedade.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome