Bancários rejeitam proposta de redução da PLR

45

Bancários precisam construir calendário de lutas e de greve, a fim de impedir retirada de direitos.

Em rodada de negociação realizada nessa terça-feira (18/08), em São Paulo, os representantes dos bancários rejeitaram a proposta da Fenaban que visava reduzir a PLR da categoria em até 48%, o que representaria um retrocesso aos índices de 1995.

Na ocasião, os banqueiros ignoraram, mais uma vez, as demais reivindicações dos bancários, como aumento salarial, garantia do emprego e saúde, pautas que deverão ser abordadas na reunião que ocorrerá nesta quinta (20/08).

De acordo com a proposta da Fenaban, objetivo era reduzir de 7,2% para 7% o limite mínimo de distribuição do lucro líquido no primeiro semestre em exercício.

Além disso, segundo noticiou o SEEB Bauru, a antecipação da PLR (que atualmente é de 54% do salário mais o valor fixo de R$ 1.474,38, com limite de R$ 7.909,30) passaria a ser de 43,2% do salário mais um fixo de R$ 1.179,50, com limite de R$ 6.327,44.

A regra básica da PLR anual corresponde, hoje, a 90% do salário mais o fixo de R$ 2.457,29, com limite de R$ 13.182,18. Pela proposta da Fenaban, cairia para 72% do salário mais um valor fixo de R$ 1.965,50, com limite de R$ 10.545,74.

Porém, ainda haveria outras perdas. De acordo com informações da Contraf “o percentual da parcela adicional, por exemplo, retornaria ao patamar de 2012”, “os valores fixos teriam redução de 20%, retornando ao patamar entre 2014 e 2015”, e “o acelerador da regra básica retornaria ao patamar de 2007”.

Por fim, “a Fenaban também faz ajustes na redação na base de cálculo para o salário base acrescido das verbas fixas de natureza salarial”. Essa mudança afetaria bancários de vários estados onde os bancos pagam gratificação semestral — as perdas chegariam a quase 50%.

“Felizmente, desta vez, a proposta dos bancos foi rejeitada ainda na mesa de negociação. Mais do que nunca, é necessário construir um calendário de lutas e de greve, a fim de impedir a retirada dos direitos dos trabalhadores bancários, ainda mais em plena pandemia” – afirmou o presidente do SEEB-MA, Eloy Natan.

Confira, abaixo, tabela elaborada pelo SEEB Bauru comparando a PLR do ano passado e a deste ano, caso as regras da Participação nos Lucros sejam alteradas ao gosto dos banqueiros:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome