Bancários resistem, exigem respeito e negociação positiva já!

222


A greve dos bancários entrou hoje no 15º dia. Sobre o aspecto geral, o movimento já conta com mais de 60% das unidades paralisadas (cerca de 14 mil), incluindo aí, além das agências, que representam a maioria, órgãos da direção geral e centros administrativos dos bancos. O poder de mobilização e de resistência da greve deve ser mantido para aumentar a pressão e quebrar a intransigência dos patrões (banqueiros e governo) – os quais insistem em reduzir os salários com proposta abaixo da inflação: 7% de reajuste mais abono de R$ 3.300,00 – no sentido de obter conquistas gerais e específicas da classe.


No BNB, a adesão que já é grande desde o começo, cresce a cada dia. Em muitos estados, todas as unidades aderiram ao movimento paredista (confira quadro aqui), prova cabal da insatisfação dos trabalhadores do Banco do Nordeste do Brasil, tanto no atacado – enquanto categoria bancária – como no varejo, com as demandas específicas da instituição que se acumulam ano após ano e só pioram as condições de trabalho.


Insegurança bancária, trabalho gratuito, carência de funcionários sobretudo nas agências, falta de transparência em processos de concorrência, necessidade de dignidade previdenciária, plano de cargos totalmente incompatível com uma instituição de desenvolvimento e tantas outras  demandas levam ao endividamento e ao adoecimento dos funcionários, que se sentem desvalorizados, apesar da dedicação e do empenho com os quais labutam diariamente.


Por tudo isso, o que se espera da direção do Banco é respeito, o que em tempos de greve se traduz em negociação e propostas dignas!


A “desculpa” de seguir a Fenaban no índice que venha a ser acordado não pode ser aplicada pela gestão do BNB para as inúmeras reivindicações específicas! Tal desculpa não deveria sequer ser apresentada, já que a Fenaban representa instituições privadas!


Vale lembrar que a última reunião entre BNB e comando de greve foi no dia 13 de setembro e de lá para cá nada mais foi apresentado. Assim , é urgente que o Banco tenha dignidade em negociar por ser o responsável pelas demandas específicas de seus funcionários.


Por negociação específica no BNB já!


Só a luta muda a vida!

A AFBNB ao lado dos trabalhadores

Gestão Autonomia e Luta


 


Source: Notícias – 300

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome