Bancos privados brasileiros financiam o desmatamento

22
 A visão dos bancos privados no Brasil é sempre a do lucro e se engana quem pensa quando parecem atuar com bondade. Os representantes do Santander, Bradesco e Itaú foram até o governo em julho deste ano para pedir o desmatamento zero, mas ao mesmo tempo, as mesmas instituições financeiras estão associadas à destruição da Amazônia.

A informação é do levantamento da F&F (Forests and Finance), que investiga financiamentos dos bancos no desmatamento da maior floresta tropical do mundo.

Segundo a F&F, ao invés de diminuir o financiamento que esteja ligado ao desmatamento, os bancos privados aumentaram a verba em 40% desde dezembro de 2015, quando foi assinado o Acordo de Paris, para reduzir as mudanças climáticas no planeta.

Para chegar à conclusão do financiamento aos desmatadores, foram rastreados R$ 990 bilhões investidos entre os anos de 2016 e 2020 na produção de carne bovina, óleo de palma, papel e celulose, borracha, soja e madeira. O valor é referente a operações de crédito e compra de ações e títulos de dívida. Foi considerada a quantia que está diretamente relacionada com as atividades associadas ao desmatamento.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome