BNB recebe aporte de R$ 500 mi de fundo para o turismo e dobra orçamento para 2021

15

A transferência de recursos faz com que o orçamento do BNB para atender ao setor de turismo dobre, já que em 2020 outros R$ 500 milhões haviam sido aplicados nas atividades da cadeia

Ministro do Turismo, Gilson Machado, entrega recurso de R$ 500 milhões do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) ao Banco do Nordeste (BNB) para que a instituição aporte em negócios relacionados ao setor. Com recursos, BNB dobra orçamento para o turismo. (Foto: BNB / Divulgação)
Ministro do Turismo, Gilson Machado, entrega recurso de R$ 500 milhões do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) ao Banco do Nordeste (BNB) para que a instituição aporte em negócios relacionados ao setor. Com recursos, BNB dobra orçamento para o turismo. (Foto: BNB / Divulgação)

Ministério do Turismo repassou R$ 500 milhões de recursos do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) ao Banco do Nordeste (BNB) para repasse aos empreendedores do setor na área de atuação do banco, no Nordeste e norte de Minas Gerais e Espírito Santo. A transferência de recursos faz com que o orçamento do BNB para atender ao setor de turismo dobre, já que em 2020 outros R$ 500 milhões haviam sido aplicados nas atividades da cadeia.

A confirmação da transferência foi formalizada em solenidade realizada na sede do BNB, em Fortaleza. O ministro do Turismo, Gilson Machado, afirma que sabe do impacto do turismo para o Nordeste e que o ministério trabalha para garantir a sobrevivência das empresas. “Estamos mantendo a sobrevivência das empresas, principalmente no tocante ao fluxo de caixa porque o maior capital que uma empresa de turismo tem é o seu capital humano.”

Em seu discurso, o presidente do BNB, Romildo Rolim, destaca que esses recursos incrementam o poder do banco em melhor atender ao setor, fazendo melhor sua missão desenvolvimentista no Nordeste. Em 2020, as principais operações que o BNB geriu com a cadeia do turismo foram relacionadas ao capital de giro e também com créditos novos.

Romildo ainda ressalta que os programas de microcrédito do BNB apresentaram crescimento de 18% em 2020, mesmo com a pandemia, com desembolso de R$ 12,1 bilhões. Ainda disse que vem conversando com o setor, por meio da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), para saber da realidade enfrentada pelo turismo, para assim desenvolver melhor as condições para o crédito e renegociações.

“É muito importante a gente trabalhar para que, neste momento de pandemia, não retrair, não restringir o crédito. No ano passado, fizemos um orçamento de R$ 40 bilhões no total e no turismo fizemos em torno de R$ 500 milhões”. Com o novo recurso, Romildo destaca que o orçamento para aporte no setor vai duplicar em 2021, o que considera muito importante.

Em 2020, as principais operações que o BNB geriu com a cadeia do turismo foi relacionado ao capital de giro e também com créditos novos. “Trazer os R$ 500 milhões para o BNB incrementar o seu funding e fazer a sua operação ainda melhor isso nos alegra muito”.

Afirma ainda que o aumento das contratações a partir de 2018 foi superior a 7.000%, conseguindo gerar ou manter mais de 50 mil empregos diretos entre 2019 e 2020. “Reconhecemos as dificuldades, mas faremos o que estiver ao nosso alcance para facilitar o acesso”.

Bastidores

O tom político esteve bem presente na solenidade de transferência de R$ 500 milhões do Fungetur para o BNB com várias menções ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O presidente da ABIH, Manoel Cardoso Linhares, destacou o papel do presidente no apoio ao turismo nacional, de certa forma até parafraseando declaração do chefe do Executivo na semana passada ao afirmar que “se não fosse a pandemia”, o setor de turismo estaria muito bem.

Destacou a gestão do recurso por parte do BNB como um momento histórico para o trade turístico e emendou: “Ai de nós, nessa pandemia, se não fosse nosso presidente da República”.

“Nosso presidente deu exemplo para o mundo quando publicou a MP 936, que salvou, posso dizer hoje, mais de 64 milhões do desemprego, foi o homem que deu essa linha de crédito que hoje chega ao Ceará e no Nordeste com o BNB e é dessa maneira que queremos salvar os empregos no turismo.”

Estiveram presentes no evento ainda parlamentares da bancada cearense no Parlamento e deputados e vereadores bolsonaristas. Em um dos discursos, o deputado federal Domingos Neto (PSD) elogiou a escolha do BNB para gestão desses recursos do Fungetur, por ser um banco com melhor relação com os empreendedores. Avalia que a escolha oferece as garantias aos empreendedores que o recurso, antes considerado “distante da realidade do turismo nordestino”, “terá a sensibilidade, a capilaridade, vai chegar em quem precisa, porque o setor do turismo, do pequeno ao grande, já tem relação com o BNB”.

“(É uma) Ação de retomada focada no setor do turismo num estado como é o Ceará, que vive de turismo. Nós sofremos desde o primeiro momento, quando se fecha o Aeroporto de Fortaleza, quando diminui o número de voos. Se não tem voo, não tem turista, e sem turista não há dinheiro circulando”, opina.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome