Dia do Participante CAPEF: AFBNB e a luta por dignidade previdenciária

167

A Associação dos Funcionários do BNB (AFBNB) participou na manhã de ontem (25) do encontro em celebração ao Dia do Participante, comemorado em 25 de janeiro. O evento foi realizado na sede da Caixa de Previdência dos Funcionários do BNB em Fortaleza com a presença de assistidos da Caixa, sobretudo aposentados, e lideranças das entidades representativas – AABNB e Sindicato.

Durante a manhã, a gestão da Capef apresentou números dos planos BD e CV da Capef, bem como desafios e conquistas da Caixa de Previdência, e respondeu a questionamentos dos participantes. Entre os destaques, foi citada a aprovação dos órgãos controladores para alteração no Estatuto que permite a oferta de um plano Família, na modalidade CD (Contribuição Definida) aos parentes dos beneficiários.

A mesa de abertura do evento foi composta pelo diretor de Administração do BNB, representando o Banco, Haroldo Maia Júnior; pelo vice-presidente do Conselho Deliberativo da Capef, Thiago Alves Nogueira; pelo presidente do Conselho Fiscal da Capef, Genival Vilanova; pelo presidente da Capef, Ocione Marques Mendonça; pelo diretor de organização da AFBNB, Assis Araújo e pelo diretor da AABNB, Miguel Nóbrega.

Em sua intervenção, Assis Araújo reiterou que a AFBNB é uma entidade que se soma à luta em defesa da dignidade previdenciária de ativos e aposentados do BNB e destacou o momento atual no cenário político brasileiro em que a possibilidade de diálogo e de alcance de conquistas se tornam mais possíveis.

Ele destacou a necessidade do zelo e do cuidado na gestão dos planos, citando como exemplo o plano CV, que precisa ter uma visão de longo prazo para que se mantenha resguardado de forma a atender os seus beneficiários quando do momento da aposentadoria. Já quanto ao plano BD, o diretor da AFBNB chamou atenção para o fato de que, mesmo alcançando as metas e se dizendo equilibrado do ponto de vista dos indicadores ainda inviabiliza que as pessoas se aposentem devido à queda significativa da renda, o que leva à certeza de que ainda é necessário lutar para avançar. Para Assis, “a vida precisa ter dignidade até o fim”. Ele reforçou a importância dos aposentados para a existência do Banco já que foram eles que prepararam o caminho e empregaram parte de suas vidas na construção da instituição e que merecem ser devidamente valorizados e respeitados.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome