Durante encontro do G52, Sudene fortalece ação integrada pelas cidades-polo da região

33
Autarquia reuniu prefeitos e instituições parceiras para promover ações de apoio aos municípios-polo para interiorização do desenvolvimento regional.

Natal (RN) – O Governo Federal, por meio da Sudene, iniciou hoje (21) em Natal (RN) o primeiro dia de atividades do I Encontro dos Municípios-polo do G52. O evento segue até amanhã e reúne 52 cidades da área da superintendência consideradas polos estratégicos para interiorização de ações pelo fortalecimento da economia e melhoria dos indicadores sociais da região. A abertura dos trabalhos foi realizada pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

Além de estimular o intercâmbio de informações entre prefeitos e agentes públicos do Governo Federal, o evento desta segunda-feira contou com apresentações da Sudene, Banco do Nordeste, Sebrae e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Também integra a programação uma mostra de produtos típicos dos arranjos produtivos que caracterizam a atividade empreendedora dos municípios que integram o grupo.

“O G52 faz parte de uma estratégia da Sudene orientada pelo MDR para estimular a interiorização do desenvolvimento. É impossível chegar nos pequenos municípios se não passarmos pelos municípios-polo, que atraem para eles o comércio, a indústria regional. Hoje reunimos os 52 polos para que eles, entre si, troquem, informações e identifiquem suas demandas e necessidades para que possamos transformar isso em ações”, explicou o superintendente da Sudene, general Araújo Lima.

Segundo o dirigente da superintendência federal, a partir do levantamento destas informações, a autarquia vai mobilizar instituições especializadas em atenuar as carências apontadas pelas gestões municipais, a exemplo do acesso ao crédito e capacitação para as equipes técnicas das prefeituras. Desta maneira, a Sudene espera criar polos de economia dinâmica, capazes de influenciar as cidades do entorno de cada integrante do G52.

Em sua exposição, o ministro Rogério Marinho destacou a iniciativa da Sudene, em sintonia com as diretrizes estabelecidas pelo MDR. “É uma satisfação estarmos juntos neste evento mostrando um pouco do trabalho que a Sudene desenvolve. Este é o intuito do evento: que as informações, que o esclarecimento e que as oportunidades sejam disponibilizadas ao conjunto dos municípios mais empreendedores e dinâmicos da região para nos apropriarmos dos instrumentos que o Governo Federal disponibiliza para estes municípios e seu entorno”, iniciou o ministro Rogério Marinho.

O titular do MDR salientou que é preciso estabelecer um pacto de compromisso com a reestruturação, crescimento e melhoria da infraestrutura, criando um ciclo virtuoso de ações que minimizem as disparidades sociais e econômicas que ainda persistem na região. “O Nordeste é a região mais desigual do país. A região tem 28% da população, mas só tem 14% da do PIB. Não interessa a nenhum brasileiro que uma região esteja tão atrás das demais. É preciso que todos sejamos mais ou menos iguais”, afirmou o ministro.

O evento ocorrido em Natal (RN) ofereceu aos prefeitos palestras com o diretor de planejamento do Banco do Nordeste, Bruno Pena, sobre acesso ao crédito e resultados da aplicação de recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), além do Sebrae, com a analista Newman Maria da Costa, apresentando os programas conduzidos pela instituição para apoio ao empreendedorismo e estímulo à inovação das atividades produtivas locais. O projeto Agronordeste foi o tema trazido pelo diretor técnico Paulo Melo.

General Araújo Lima participa do encontro do G52 em Natal.
General Araújo Lima (foto: Agnelo Câmara – Ascom / Sudene)

Pela Sudene, o general Araújo Lima destacou a articulação da autarquia para viabilizar o acesso aos instrumentos da superintendência, como os fundos regionais e os incentivos fiscais. O gestor também apresentou o Projeto de Desenvolvimento Federativo, uma ampliação das ações descentralizadas da Sudene, mas desta vez voltadas para as cidades que registram índices econômicos e sociais mais críticos em cada um dos 11 estados sob influência da autarquia.

Amanhã, o encontro do G52 segue com dois painéis temáticos: “Rotas de Integração Nacional e Fortalecimento das Capacidades Governativas” e “Cidades Inteligentes, conectividade e 5G”, além da mostra de produtos típicos dos municípios.

Sobre o G52

Os 52 municípios participantes do G52 fazem parte de uma iniciativa da Sudene para, a partir da influência exercidas por estes polos, descentralizar as ações de estímulo à economia, acesso ao crédito e desenvolvimento social, promovendo a interiorização de ações e projetos considerados prioritários.

O G52 foi consolidado a partir do conceito de cidades intermediárias proposto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e constitui a estratégia territorial para viabilização das iniciativas do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE). Os municípios que integram o grupo representam 6,5% do Produto Interno Bruto nacional e 46% do PIB do Nordeste. Cerca de 20 milhões de pessoas (34,5% da população nordestina) vivem nestas localidades.

Confira os municípios que integram o G52:

  • Alagoas: Arapiraca e Maceió;
  • Bahia: Barreiras, Feira de Santana, Guanambi, Ilhéus, Irecê, Itabuna, Juazeiro, Paulo Afonso, Salvador, Santo Antônio de Jesus e Vitória da Conquista;
  • Ceará: Crateús, Fortaleza, Iguatu, Juazeiro do Norte, Quixadá e Sobral;
  • Espírito Santo: Colatina e São Mateus;
  • Maranhão: Bacabal, Balsas, Caxias, Imperatriz, Presidente Dutra, Santa Inês e São Luís;
  • Minas Gerais: Governador Valadares, Montes Claros e Teófilo Otoni.
  • Paraíba: Cajazeiras, Campina Grande, João Pessoa, Patos e Sousa;
  • Pernambuco: Caruaru, Petrolina, Serra Talhada e Recife;
  • Piauí: Bom Jesus, Corrente, Floriano, Parnaíba, Picos, São Raimundo Nonato e Teresina;
  • Rio Grande do Norte: Caicó, Mossoró e Natal;
  • Sergipe: Aracaju e Itabaiana.

 

Por Agnelo Câmara

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome