Farra abusiva dos bancos brasileiros. Um absurdo

232

Os escandalosos lucros do setor bancário no Brasil não são novidade para ninguém. As organizações financeiras que atuam em outros países cobram tarifas diferenciadas e o consumidor brasileiro paga bem mais caro. O pior é que o abuso acontece com a permissão do Banco Central.

Estudo do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) mostra que o empréstimo para pessoa física no Brasil chega a custar 10 vezes mais do que em uma agência européia do mesmo banco. No caso de pessoa jurídica, o brasileiro tem de pagar quatro vezes pelo empréstimo em relação ao valor cobrado nos Estados Unidos e na chamada Zona do Euro.

O mercado financeiro brasileiro ainda oferece um benefício para os bancos. Cada um escolhe quanto irá cobrar por cada taxa e, inclusive, decide quais serão as tarifas existentes.

Há algum tempo, o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) divulgou nota sobre a desconfiança de que os bancos brasileiros agem como um cartel na hora de estabelecer o preço de tarifas.

O Banco Central, que tem por obrigação controlar com exclusividade a Casa da Moeda (emissão de dinheiro), a entrada e saída de capitais, o câmbio, o juro, o balanço de pagamento das contas externas, entre outras atribuições, na prática finge que nada vê.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome