Ministério Público analisa indicações no Banco do Nordeste

281


Assim como ocorreu nos Correios, os diretores do Banco do Nordeste nomeados por indicação política também podem ser obrigados a deixar os cargos. O Ministério Público Federal analisa se a escolha dos sete executivos está em conformidade com a Lei das Estatais. “A lei veda o loteamento político. Se isso ocorreu no BNB, vou entrar com ação para determinar o afastamento imediato do cargo”, diz o procurador Oscar Costa Filho. A análise dele vai considerar, por exemplo, quantos currículos foram avaliados antes da escolha final do diretor.


O BNB é controlado pelo PMDB do presidente do Senado, Eunício Oliveira (CE). O banco já enviou ao procurador os currículos dos diretores.


Nos Correios, 6 dos 9 diretores afastados pela Justiça em janeiro voltaram aos cargos. A Justiça cassou a liminar atendendo argumento de que a medida paralisou o órgão.


Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao


Source: SAIU NA IMPRENSA – 600

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome