Parcela da PLR do BNB mais magra. Desrespeito

264

Mais um desrespeito do Banco do Nordeste. A segunda parcela da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) a ser paga aos funcionários será mais magra do que o adiantamento creditado no fim do ano passado. O valor total do benefício para os bancários será de R$ 41 milhões. Outros R$ 2 milhões vão para os diretores, totalizando R$ 43 milhões.

Vale destacar que dos R$ 41 milhões, R$ 23 milhões foram antecipados. Portanto, agora apenas R$ 18 milhões serão distribuídos entre os 7 mil funcionários do banco, o que significa que cada um recebe, em média, pouco mais de R$ 2,5 mil. Uma decepção para aqueles que se dedicam diariamente à empresa. 

“Os trabalhadores esperavam ter a recompensa de todo esforço feito para recuperar o crédito. Mas, de novo, são surpreendidos pelo banco que todos os anos arruma uma desculpa para reduzir o benefício “, ressalta a diretora do Sindicato da Bahia, Jeane Pereira Marques.

Segundo a empresa, a queda se deve ao ajuste de 6,05% do lucro líquido de 2017. Mas, apenas os trabalhadores vão sentir, pois os diretores terão um benefício bem mais gordo. Cada um vai colocar no bolso cerca de R$ 250 mil, quase 100 vezes ao que é destinado aos empregados. 

O problema maior é que o BNB sempre rebaixa a Participação nos Lucros e Resultados. Inclusive, o Sindicato move duas ações sobre a PLR contra a instituição financeira, que a cada ano faz um ajuste do lucro operacional e reduz o benefício. 

Só para ter ideia do impacto, o resultado do ano passado foi superior a R$ 1 bilhão. Mas, depois dos ajustes caiu para menos de R$ 700 milhões. Não é só isso. A direção do BNB ainda embute os 3% da PLR Social no percentual já rebaixado, um desrespeito ao acordo coletivo.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome