Preço da comida eleva inflação e piora a alimentação do brasileiro, denuncia pesquisador

49

Em uma live de mais de duas horas de duração, na segunda (25) à noite, o professor Marco Antônio Mitidiero Júnior, da Universidade Federal da Paraíba, deu uma verdadeira aula, explicando porque o preço da comida subiu mais que a inflação e pesa no seu cômputo, ao mesmo tempo em que o Brasil bate recordes na produção de grãos e proteína animal. Denunciou diversos erros de política agrícola, agrária e fundiária que afetam o preço da comida no Brasil.

Reafirmando o que resumiu durante a audiência pública sobre política de juros, Mitidiero desmontou a falácia dos juros altos para segurar a inflação, acusando o parasitismo do capital financeiro de servir ao rentismo e a nenhum outro propósito.

Entre diversos pontos importantes, o professor da UFPB também falou sobre a piora na qualidade da alimentação da população ao longo do tempo, causada pelo aumento no preço de itens como a carne bovina, que subiu 281% de 2007 a 2019, porque o produtor prefere exportar com benesses tributárias a fornecer ao mercado interno, gerando pouca oferta e encarecendo preços.

“O Brasil começou a produzir muito mais salsicha, porque grande parte dos brasileiros vai comer salsicha já que não pode comer carne”, criticou, lembrando que muitos ultraprocessados não são nem considerados alimentos.

A política voltada para o grande agronegócio de exportação foi um dos destaques da live, em que o professor Mitidiero apresentou seus livros e trabalhos científicos (clique aqui para baixar). Segundo ele, o sistema beneficia os grandes produtores de proteínas e grãos, que são destinados a exportação e empregam muito menos, em detrimento aos pequenos agricultores, que de fato produzem alimentos.

Ainda mais grave é o fato de o Brasil conceder mais benefícios para as grandes corporações que exploram o agronegócio voltado para exportação do que elas retornam para o PIB brasileiro.

Na live, uma das mais comentadas, assistidas e curtidas, o professor Mitidiero destacou o contraste de termos estados, como o MS, que é um dos maiores produtores de grãos do País e que, ainda assim, produz apenas 14% da comida que consome.

Assista a live, compartilhe, pois todo brasileiro é afetado por esta política que privilegia o agro, muitas vezes fica enganado por uma propaganda que mascara os efeitos danosos para nossa economia, e, como o professor disse, também para a saúde da população.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome