Rejeitada urgência da reforma trabalhista

215


A forte pressão dos movimentos sociais, a resistência popular e as manifestações de massa que ocupam as ruas do Brasil contra o projeto neoliberal ajudam a garantir mais uma significativa vitória.


 


O pedido de urgência para a reforma trabalhista, que deveria ser votada nesta quarta-feira (19/04), foi derrubado na Câmara Federal, na noite desta terça-feira (18/04). O resultado foi muito comemorado pelos deputados progressistas.


 


A derrubada da urgência, no entanto, não encerra o caso, pois a bancada governista, ultraconservadora, se rearticula para colocar em votação na próxima semana. O projeto é altamente prejudicial aos trabalhadores, pois amplia a jornada de trabalho para 12 horas diárias, impõe o negociado sobre o legislado, coloca sob risco conquistas históricas como 13º salário e férias, enfim joga a CLT na lata do lixo.


 


É fundamental ampliar e fortalecer a resistência popular, para sepultar de vez não apenas a reforma trabalhista, mas outros projetos neoliberais, como o da Previdência, que só favorecem o grande capital. A greve geral do dia 28 é decisiva.


Source: SAIU NA IMPRENSA – 500

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome