SEEB busca apoio contra o fechamento do BASA no MA

71

Sem qualquer diálogo com a população e com o funcionalismo, o Banco da Amazônia anunciou oficialmente que vai encerrar as atividades das agências Pinheiro e Santa Inês a partir do dia 16 de junho.

Diante de mais esse ataque do Governo Bolsonaro, que visa acabar com os bancos públicos, o SEEB-MA e a AEBA encaminharam carta aberta ao Governador Flávio Dino, aos senadores, aos deputados estaduais e federais do Maranhão, a fim de obter apoio e impedir o fechamento dessas unidades do BASA, que são essenciais para a população maranhense e para o desenvolvimento econômico-social do Estado.

Até o momento, os deputados Roberto Costa, Felipe dos Pneus, Bira do Pindaré, Pedro Lucas Fernandes, o senador Roberto Rocha, além do prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio, já se manifestaram contra o desmonte do Banco da Amazônia no Maranhão.

De igual modo, procurados pelo SEEB-MA, vários setores da sociedade civil, órgãos e entidades, como o SEBRAE, a OAB, a Câmara de Dirigentes Lojistas e as Câmaras Municipais de Pinheiro e Santa Inês reprovaram o encerramento das atividades do BASA nas respectivas cidades.

“Diante disso, voltamos a denunciar essa política de reestruturação do Governo Bolsonaro, que visa enfraquecer os bancos públicos para privatizá-los, beneficiando, assim, os banqueiros da rede privada, que só pensam no lucro e não no investimento social, nos pequenos agricultores, na população mais carente. Por isso, exigimos que a Direção do BASA reveja essa decisão radical que prejudicará os cidadãos de Pinheiro e Santa Inês, bem como o nosso Estado. Contra essa política privatista de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes: vamos à luta!” – afirmou o presidente do SEEB-MA, Eloy Natan.

Caso o banco não reconsidere a sua posição, o SEEB-MA tomará as medidas judiciais cabíveis.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome