SEEB na luta contra a CGPAR 25 e as demissões no Basa

8

Sindicato se reuniu com o deputado federal Zé Carlos em busca de apoio contra esses ataques.

Ascom/SEEB-MA

Arquivo/SEEB-MA

Em reunião na sexta-feira (01/04), em São Luís, com o Deputado Federal Zé Carlos, o SEEB-MA solicitou o apoio do parlamentar na luta contra a Resolução 25 da CGPAR e contra as demissões dos funcionários do quadro de apoio do BASA, no Maranhão.

Sobre a CGPAR 25, que ataca os planos de benefícios da FUNCEF, prejudicando principalmente os participantes do REG/Replan não Saldado da Caixa, Zé Carlos se comprometeu a procurar a Deputada Érika Kokay, para dar andamento ao Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 708/2019.

O PDL 708/2019, de autoria da parlamentar paulista, está parado desde 2019 na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara Federal, e visa – justamente – sustar os efeitos dessa Resolução nefasta, que ataca os fundos de pensão dos bancários.

“Precisamos que a CGPAR 25 seja derrubada no Congresso, assim como ocorreu com a CGPAR 23, que atacava os planos de saúde dos trabalhadores das estatais. O SEEB-MA continua atuando em defesa dos fundos de pensão, que estão sob ataque do Governo Bolsonaro, conforme deliberado no Encontro sobre a FUNCEF, em 2021. Esperamos contar com o apoio do Deputado Zé Carlos nessa luta” – afirmou o diretor Enock Bezerra.

Quanto aos bancários do BASA, Zé Carlos – que também é presidente da Frente Parlamentar Federal em Defesa dos Bancos Públicos – comprometeu-se com a causa e afirmou que defenderá a manutenção dos empregos do pessoal do quadro de apoio do Banco da Amazônia.

Nesse sentido, o Deputado já sugeriu algumas ações concretas para enfrentar esse ataque do banco, como a realização de Audiências Públicas nas Assembleias Legislativas dos Estados do Maranhão, Pará e Amazonas, bem como na Câmara Federal, a fim de dar publicidade aos prejuízos que serão causados por essas demissões.

Para a Diretora do SEEB-MA, Marla Brito, a ajuda do parlamentar será essencial, pois essa medida do Banco da Amazônia é um precedente perigoso, que coloca em risco o emprego público não só no BASA, mas em todos os bancos públicos estatais.

“Por nenhum direito a menos, a luta dos bancários continua. Basta de demissões!” – afirmou a Diretora, que estava acompanhada na reunião pelos dirigentes do Sindicato, Dielson Rodrigues e Enock Bezerra.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome