Senhor, afasta de nós esse cale-se! – Por Dorisval de Lima

245



Há um ano: Enquanto a AFBNB estava em Brasília reafirmando a importância do BNB para a região e defendendo a exclusividade do FNE pelo Banco, em Fortaleza chegava à entidade comunicado do Banco retaliando a Associação com a cassação da liberação de seus dirigentes


 


O registro acima é de um ano atrás. É o marco de uma das muitas lutas que a AFBNB desenvolve há quase trinta anos – a reafirmação do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) como instituição de desenvolvimento (e pelo seu fortalecimento), por mais recursos para a região onde o Banco atua -, além da defesa dos trabalhadores… 


 Infelizmente por ocasião deste ato, no exato momento em que a presidente da Associação se pronunciava em Brasília por ocasião de um evento que debatia o assunto, a gestão do BNB lançava um duro ataque contra a entidade, e os seus associados por extensão, ao cassar as liberações dos três dirigentes (inclusive a da própria presidente) para o exercício do mandato, sob alegação de que era uma recomendação dos órgãos fiscalizadores. Quais? Cadê os documentos com tal ordem? Por não constarem formalmente registros neste sentido até o momento, sou obrigado a insistir na ênfase de que tal atitude não passa de um golpe contra a AFBNB e contra uma importante conquista democrática do movimento sindical que já vem de anos.


Como as liberações atuais estão asseguradas até o fim do mandato – 31/12/2016 -, conforme documentos assinados pelo próprio Banco, com base no Acordo Coletivo de Trabalho vigente à época, tiveram que se calar com uma Liminar da justiça, que reconheceu a liberação e desqualificou tal absurdo.


Infelizmente o fantasma persiste, pois a Associação continua sem as liberações para o próximo mandado, que terá início a partir de janeiro de 2017, haja vista desde o ano passado tal prerrogativa deliberadamente não constar mais do Acordo Coletivo de Trabalho.


Pela natureza agressiva, injustificável, autoritária, mas bilateral, por envolver o patrão e parte do movimento sindical que comunga com isso, tal ato se configura como uma conspiração contra a Associação, a organização dos trabalhadores e a própria democracia. Por isso também 2016 há de ser o ano da resistência! Isto para que, a partir da “nossa casa”, e com coerência, possamos clamar pelo respeito à democracia e às conquistas da sociedade.  Não nos curvaremos ao despotismo que vergonhosamente teima em vigorar no BNB.


Todo apoio à luta da AFBNB!


“Apesar de você amanhã há de ser outro dia”! (Chico Buarque de Holanda)


*Dorisval de Lima é Diretor de Comunicação e Cultura da AFBNB


Source: Notícias – 400

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome