8 de março: Mulheres vão às ruas contra o golpe e em defesa da democracia

242




Na próxima quinta-feira, dia 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres, acontece um grande ato contra o golpe, pelo fim da violência, contra as reformas e por democracia. A concentração será na Praça da Bandeira (escadaria da Faculdade de Direito da UFC), a partir das 8h.


Em resistência às ofensivas contra direitos duramente conquistados, as bancárias participarão, juntamente com a Frente Brasil Popular, dessa manifestação e defendem que a mobilização das trabalhadoras é fundamental para impedir retrocessos como as mudanças prejudiciais da reforma da Previdência do golpista Temer. Além disso, muitos direitos das mulheres historicamente conquistados estão sob ameaça desde o início do governo Temer assim como os índices alarmantes de agressões registrados cotidianamente contra elas.


“Recentemente, nós vencemos a reforma da Previdência com nossas mobilizações, dando um recado aos deputados de que se eles aprovarem essa reforma não se elegerão. Mesmo assim, temos de ficar muito atentas. Precisamos também chamar a atenção para o desmonte das políticas públicas, principalmente as de combate à violência contra a mulher. Ressaltamos principalmente a defesa da democracia, como garantia fundamental, pois só através da Democracia é possível garantir todos os demais direitos.  É preciso reafirmar nosso compromisso de luta”, afirmou Rita Ferreira, diretora da Secretaria de Igualdade e Diversidade do Sindicato.


Sindicato muda a cor de site para celebrar o mês das mulheres


No dia 8 de março, lembramos às lutas de todas as mulheres ao celebrar o Dia Internacional da Mulher e, por isso, o Sindicato dos Bancários do Ceará participará de eventos ao longo de todo o mês de março para promover o empoderamento feminino e reivindicar os direitos das mulheres no trabalho e na sociedade.


Para destacar este mês tão importante, o site do Sindicato passará está com a cor lilás, além de exibir regularmente conteúdos relacionados ao cotidiano e a luta das mulheres bancárias.


 


 


DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome