AFBNB 38 anos – uma história que se constrói nas lutas coletivas do dia a dia

39
  • Por Rita Josina Feitosa – Diretora-presidente da AFBNB

Hoje, 4 de fevereiro, a Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB) completa 38 anos. São quase quatro décadas de ações concretas, aprendizados e muitos resultados positivos em defesa da região Nordeste, do Banco do Nordeste enquanto instituição de desenvolvimento e da valorização dos trabalhadores.

É uma história que vem sendo construída a muitas mãos, mentes e corações, por pessoas de diferentes gerações e ideologias, mas unidas por ideais coletivos de justiça social e de trabalho digno, imbuídas do desejo de redução das desigualdades regionais, de garantia e ampliação de direitos trabalhistas e de um BNB forte, que contribua com as potencialidades do Nordeste e de sua gente e, consequentemente, com o Brasil.

Logo em seu nascedouro a AFBNB demonstrou uma capacidade de diálogo, articulação e mobilização ímpar na batalha travada durante a Assembleia Nacional Constituinte por recursos estáveis para o BNB. O resultado da campanha encabeçada pela Associação junto às bancadas do Norte, Nordeste e Centro-oeste foi a inclusão do artigo 159 que cria os Fundos Constitucionais na Constituição Federal de 1988. Tal conquista repercute ainda hoje; prova disso é que o FNE segue sendo o principal funding de financiamento do BNB.

De lá pra cá foram inúmeros os momentos em que a atuação da AFBNB mostrou-se relevante: no processo de redemocratização do BNB; na recriação da Sudene e na permanência do BNB no Conselho Deliberativo da Sudene; no enfrentamento a projetos de lei e medidas provisórias que afetariam o FNE e/ou os trabalhadores.  Em um trabalho muitas vezes invisível, nos bastidores do parlamento, na elaboração de emendas apresentadas por deputados; em diálogo permanente na busca constante de aliados que se somem às bandeiras de luta; na produção de documentos informativos, estratégicos e de base, a Associação segue firme.

No âmbito da valorização dos trabalhadores, a entidade é coerente em sua defesa por entender que o Banco só pode funcionar plenamente se o corpo funcional estiver fortalecido e valorizado. Revisão do plano de cargos, isonomia de tratamento, observância da carga horária, dignidade previdenciária e de saúde, condições dignas de trabalho – desde as instalações físicas ao clima organizacional, isonomia de tratamento, transparência nos processos são algumas das bandeiras presentes no cotidiano da entidade.

Por tudo o que foi vivido e construído, pelos que passaram por aqui e pelos que continuam, trabalhadores da ativa e aposentados, a data é de celebração! A AFBNB somos nós, nossa força, nossa voz!

Vida longa à AFBNB!

Rita Josina é Diretora-Presidente da Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB)

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome