AFBNB encaminha ofícios com demandas dos trabalhadores

237


A Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB) encaminhou ontem (dia 2) ofícios à diretoria administrativa e de tecnologia da informação do BNB e à presidência da Capef com demandas que têm chegado à AFBNB, inquietando os trabalhadores e que põem em risco a credibilidade dos processos internos do Banco: o Banco de sucessão, a extensão da licença paternidade e o reajuste no Tempo de Serviço Passado da Capef.


O primeiro tema, banco de sucessão, foi pauta de outro ofício, enviado no dia 14 de abril, no qual a Associação apresentou questionamentos de funcionários acerca do banco de sucessão. de lá pra cá outras demandas têm chegado à AFBNB, a mais recente delas de um funcionário que, ao tentar concorrer ao Banco de Sucessão Agência M1, no mês de abril, se deparou com a exigência do Curso de Ética Organizacional e Controles Internos. Ocorre que o referido curso consta como exigido somente a partir de 1º de julho de 2016, conforme Plano de Funções disponibilizado pelo Banco.


A AFBNB cobra transparência e alerta para a importância da credibilidade dos processos para os funcionários, mas, sobretudo, para a instituição BNB. Confira ofício aqui.


Outro assunto tratado diz respeito ao não atendimento imediato por parte do Banco da extensão da licença paternidade para 20 dias, conforme lei federal em vigor desde março desse ano. A Associação solicita ao Banco que reveja sua decisão e que a lei para a valer desde já para os funcionários que fizerem jus ao direito. Confira ofício aqui.


Sobre a demanda relacionada à Capef, têm chegado relatos à Associação sobre as alterações no cálculo do Tempo de Serviço Passado (TSP). A medida tem causado inquietações e muita preocupação entre os associados, uma vez que os mesmos constataram elevação substancial na política de cotas e incremento no “valor da dívida” (como consta da mensagem), segundo relatos nas demandas que têm chegado à AFBNB sobre a matéria. As considerações postas nas mensagens expressam divergências de entendimento sobre a medida e do que de fato trata a mesma.


A AFBNB reitera que toda e qualquer movimentação  a ser realizada no âmbito dos benefícios dos Associados da Capef, seja em qual plano de previdência for, deva se dar de forma transparente, com amplo debate, com total domínio e conhecimento dos interessados, não de unilateralmente por parte da gestão da Caixa. No ofício (veja aqui), a Associação sugere que a Capef faça uma abordagem pedagógica,  didática e dialética sobre a questão, de forma a dirimir  todas as dúvidas.


Source: Notícias – 400

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome