AFBNB se reúne com trabalhadores da agência Paulo Afonso

65

Na última quinta-feira (01.02), o diretor da AFBNB e da FEEB-BA/SE,  Waldenir Britto, visitou a agência de Paulo Afonso (BA), que passa por um processo de reforma no prédio onde funciona a unidade. A visita é resultado de uma reunião virtual que aconteceu com representantes da Super-BA, da Direção Geral (responsável pela reforma) e funcionários da unidade, além da diretora da AFBNB e do sindicato da Bahia, Jeane Marques.

A reforma da unidade já vem sendo realizada há mais de um ano sem que os funcionários fossem deslocados, o que tem ocasionado diversos transtornos aos trabalhadores/as, pois tiveram que conviver com poeira e barulhos durante esse período. Até mesmo agora, como foi constatado na visita, a reforma ainda causa dificuldades aos colegas e clientes do BNB, apesar de os funcionários considerarem que a pior fase já passou.

A partir da visita, foi observado que as condições de trabalho ainda não são as adequadas, o que precisa ser revisto pela direção do BNB, com um agravante de que, mesmo com aditivo no contrato da reforma com a empresa responsável, ainda foi identificado que não se prevê banheiro social para os funcionários no primeiro andar do prédio, o que é totalmente inadequado.

Para o Diretor da AFBNB, Waldenir Britto, “a reforma da unidade era necessária para melhorar a segurança e as condições de trabalho e se ter melhores condições de atender a clientela, mas é necessário urgentemente fazer novo aditivo (ou apresentar uma outra solução) para a conclusão da reforma da agência, no tocante ao banheiro no primeiro andar da unidade, entre outras necessidades. Outro aspecto que precisamos conversar com o BNB é sobre que as reformas das unidades não devem ser realizadas com os bancários e bancárias dentro da agência, pois prejudica a saúde dos trabalhadores e trabalhadoras!”.

A AFBNB já manteve contato com o gerente da unidade, bem como a super Bahia e formalizará ofício ao BNB solicitando urgência na solução dos problemas identificados na reforma.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome