AFBNB segue atuando junto ao Banco em defesa da saúde e da vida dos trabalhadores

319

Na tarde desta sexta-feira (4) a Associação encaminhou novo ofício à Presidência do BNB. Em pauta, novamente, a preocupação acerca do possível retorno dos funcionários às atividades presenciais a partir do dia 21 de setembro, assunto que tem suscitado diversas manifestações que chegam à AFBNB.

Como fez em outras oportunidades, a entidade reforça no documento a temeridade de tal decisão tendo em vista o alto número de casos de COVID 19 ainda registrados no Brasil, além de uma cláusula aprovada no âmbito da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) sobre o tema. Os pontos abordados refletem mais uma vez o compromisso da AFBNB com a vida dos trabalhadores e a interlocução com o Banco na busca pela reversão da medida.

Confira o ofício da AFBNB

Fortaleza, 04 de setembro de 2020

Ao Senhor

Romildo Carneiro Rolim

Presidente

Banco do Nordeste do Brasil S.A.

Nesta

Assunto:  Covid-19 – Retorno ao trabalho presencial

Senhor Presidente,

Como é de conhecimento, a pandemia de Coronavírus continua fazendo vítimas diariamente no mundo todo, com forte impacto e altíssimos índices no Brasil, Infelizmente.  Segundo dados publicados pelas secretarias estaduais de Saúde, o País registrou a média de 875 mortes por dia na última semana de agosto. Trata-se de um número muito elevado, inaceitável, por isto mesmo preocupante, que sinaliza a urgência na intensificação dos cuidados e medidas para mitigar a situação, enquanto não se tem uma política de imunização. Neste contexto o isolamento social segue sendo o método mais eficaz nesta perspectiva.

Embora sendo uma experiência circunstancial, até onde se sabe, a instituição do sistema de “teletrabalho” tem cumprido um intento importante e positivo na proteção da vida, tanto dos trabalhadores quanto dos clientes, sem no entanto comprometer os resultados e a missão do Banco. Os dados publicados dão testemunho disso, o que é salutar, por mais uma vez também testemunhar a assertiva nos   direcionamentos, bem como o empenho e a competência dos funcionários.

Nestes termos, a AFBNB reitera o que fundamentou nas  solicitações formuladas anteriormente por meio de ofícios e durante reunião ocorrida recentemente, no que se refere a necessidade da manutenção circunstancial do sistema de teletrabalho, sobretudo quanto aos funcionários inseridos no considerado “grupo de maior risco”, conforme preconizado pelas autoridades da área de  saúde, até que seja disponibilizada vacina para fazer frente em definitivo à moléstia, sob pena de se estar colocando as pessoas em situação de maior vulnerabilidade e consequentemente contribuindo para o incremento das preocupantes estatísticas sobre o caso.

Convém enfatizar que no âmbito da convenção coletiva de trabalho (CCT), objeto das negociações com a Fenaban, e aprovada pela categoria, consta cláusula neste sentido. Assim, é coerente que o BNB, na condição de signatário do referido documento, conforme um dos itens apresentados como condição para celebração do acordo específico faça valer esse compromisso. Por oportuno, destacamos ser salutar que o Banco assegure a referida política, aprimorada com mecanismos de aferição da jornada de trabalho, com o devido pagamento das horas correspondentes à eventual extrapolação do tempo normal, tal como ocorre nas atividades presenciais.

Sem mais para o momento, colocamo-nos à disposição para tratar destes e demais assuntos pertinentes aos funcionários e ao Banco.

Cordialmente,

Rita Josina Feitosa da Silva

Diretora-presidente

Associação dos Funcionários do Banco do Nordeste do Brasil (AFBNB)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome