Campanha salarial 2022: Hora de lutar pela garantia de direitos!

152

Após dois anos difíceis para a classe trabalhadora no que diz respeito à própria sobrevivência em meio à pandemia da Covid 19, 2022 é um ano simbólico não só de reencontro, mas de retomada da luta e das mobilizações em torno da manutenção de direitos conquistados em momentos anteriores, assim como de organização para avançar nas conquistas, enfrentando ameaças que surjam ao longo deste ano decisivo para o futuro do país.

Com a inflação e o aumento do custo de vida corroendo a cada dia a vida dos trabalhadores e suas famílias, além dos lucros exorbitantes auferidos pelos maiores bancos, cabe à categoria estar atenta e forte, preparada e bem informada para as mobilizações a cada dia. Como sempre, a Campanha Salarial de 2022 deverá ser árdua, difícil e muitas batalhas serão travadas nesse processo de negociação para que os trabalhadores não saiam prejudicados ao final.

Melhores condições de trabalho, ganho real de salários, garantia de assistência de saúde, fim da terceirização e contra o desmonte dos bancos públicos. Essas são apenas algumas das pautas que constam das demandas da categoria bancária este ano e que devem ser exaustivamente debatidas entre todos/as, mesmo que a greve seja o último recurso no sentido de se alcançar o objetivo almejado.

A AFBNB, como sempre fez, estará do lado certo da história, juntos da força de trabalho, fazendo valer seu histórico de combatividade diante dos maiores desafios. Nesse sentido conclama a todos/as para que estejam engajados na Campanha Salarial de 2022. É hora de unificar as forças e somar na perspectiva da garantia dos direitos e no respeito aos trabalhadores que cada vez mais necessitam de unidade e consciência de classe para estes “novos-velhos tempos”.

Veja abaixo algumas das pautas de reivindicações e agendas da Campanha deste ano:
PRINCIPAIS PONTOS DAS PAUTAS PARA A CAMPANHA SALARIAL 2022:

Pauta alternativa dos Sindicatos do Maranhão, Rio Grande do Norte e Bauru (saiba mais em https://www.bancariosma.org.br/paginas/noticias.asp?p=17930)
– Indíce de reajuste de 35%;
– 12% de inflação;
– 20% da média das perdas salariais
– 3% da media do crescimento dos ativos dos 5 maiores bancos;
– Acordo anual;
– PLR linear para todos os bancários;
– Fim da terceirização;
– Fim das metas e do assédio;
– Funcionamento das agências das 8h às 18h com dois turnos formados por diferentes bancários;
– Pelo fim do banco de horas.

CONTEC (saiba mais em https://contec.org.br/contec-entrega-pauta-de-reivindicacoes-dos-bancarios-a-fenaban/)
– reajuste nos salários com base no INPC mais 5% de aumento real
– correção dos tíquetes, vale alimentação e o auxílio babá com reposição do INPC mais 12% de ganho real.

CONTRAF (saiba mais em https://www.bancariosce.org.br/bancarios-entregam-minuta-de-reivindicacoes-aos-bancos/)
– Reposição salarial e nas demais verbas com base na inflação do período entre 31 de agosto de 2021 e 1º de setembro de 2022 (INPC) mais 5% de aumento real.
– Aumento maior para o VR e VA;
– Garantia dos empregos
– Manutenção da regra da PLR, atualizada pelo índice de reajuste;
– Fim das metas abusivas;
– Combate ao assédio moral;
– Acompanhamento e tratamento de bancários com sequelas da Covid-19.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome