Doenças podem elevar com trabalho ao domingo

15

A medida provisória 905 – que aprofunda a reforma trabalhista – mexe com toda a estrutura da sociedade. Caso a MP de Bolsonaro seja aprovada, milhões de brasileiros terão de trabalhar aos domingos, dia tradicional de descanso, de reunir a família no almoço e visitar velhos amigos.

Sem tempo para o lazer e para manter as relações sociais, a tendência é de que as pessoas adoeçam ainda mais. Importante destacar que o ritmo de trabalho alucinante do mundo moderno é responsável pela disparada das doenças psicológicas e do afastamento de milhões de trabalhadores das atividades laborais.

Os bancários sabem bem disso. O total de trabalhadores do setor que se afastaram por transtornos mentais cresceu 61,5% entre 2009 e 2017, segundo dados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). A sobrecarga, o aumento da jornada, o trabalho fora do expediente (pelo celular), a pressão para o cumprimento de metas e o assédio moral são os principais fatores que levam ao adoecimento.

A doutora em Desenvolvimento Econômico da Unicamp, Ana Luiza Matos, alerta que o trabalho toma conta do cidadão do mundo moderno, mas a sociedade brasileira precisa se perguntar se quer abrir mão do descanso até no fim de semana.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome