Em dia de luta contra agrotóxicos, BdF estreia filme sobre crime industrial na Índia

36

Vídeo estará disponível a partir das 19 horas no canal do Brasil de Fato no Youtube; assista ao trailer

Redação
Brasil de Fato | São Paulo (SP) |

“O monstro da indústria de agrotóxicos”: boneco foi colocado no pátio de uma clínica de reabilitação em Bhopal para lembrar dos males causados pelos pesticidas e da responsabilidade das transnacionais – Poliana Dallabrida

O documentário Bhopal 84 estreia nesta quinta-feira (3) às 19h, no canal do Brasil de Fato no Youtube. A data de lançamento coincide com o aniversário de 36 anos do maior crime industrial da história, ocorrido em Bhopal, na Índia, em 3 de dezembro de 1984. O filme trata justamente dos impactos daquele episódio, que matou 2,2 mil pessoas na hora e afetou a vida de quase 600 mil pessoas ao longo dos anos.

Assista ao trailer do documentário

O crime ocorreu em uma fábrica de agrotóxicos da corporação estadunidense Union Carbide. Os empresários, que negligenciaram as normas de segurança para armazenamento do gás tóxico isocianato de metila, não foram punidos, e as vítimas receberam indenizações irrisórias.

Há cerca de 20 anos, a Union Carbide foi comprada pela Dow, também dos Estados Unidos. A empresa, a maior do setor, recusa-se a limpar a antiga fábrica em Bhopal e seu entorno, que continua contaminado. Hoje, pais contaminados pelo vazamento de isocianato de metila têm seis vezes mais chance de ter filhos com má formação congênita.

As entrevistas do documentário, realizadas pelos jornalistas brasileiros Daniel Giovanaz e Poliana Dallabrida na Índia, mostram a perversidade daquele crime e os desafios da luta por justiça. Vítimas e ativistas ressaltam que as indenizações pagas pela empresa foram irrisórias e que o vazamento em Bhopal é um emblema da busca incessante das transnacionais por lucro, sacrificando vidas humanas e poluindo o meio ambiente no Sul global.

O então presidente da Union Carbide, Warren Anderson, que assinou a obra em Bhopal, foi preso logo após o vazamento, mas pagou uma fiança e morreu 30 anos depois em uma praia na Flórida, costa leste dos Estados Unidos.

As causas do vazamento nunca foram esclarecidas. O que se sabe é que o isocianato de metila deveria ser mantido em temperaturas mais baixas. “Foi uma execução desastrosa. Eles desligaram a unidade de refrigeração para economizar algo como US$ 40 por dia”, afirma Rachna Dhingra, ativista da Campanha Internacional por Justiça em Bhopal entrevistada no filme.

Em homenagem às vítimas de Bhopal, 3 de dezembro também é o Dia Mundial de Combate aos Agrotóxicos.

O Brasil é um dos maiores consumidores de veneno do mundo. Segundo levantamento da Agência Pública e da Repórter Brasil, a Dow Agrosciences Industrial Ltda – subsidiária do grupo Corteva Agriscience, antiga Dow Agrosciences –, diretamente ligada à perpetuação do crime de Bhopal, é a empresa que mais recorreu à justiça brasileira para flexibilizar leis que controlam o uso de pesticidas.

De 2007 a 2017, data do último levantamento oficial, o Brasil registrou 40 mil casos de intoxicação por agrotóxicos.

Assista aqui o documentário completo a partir das 19h

Ficha técnica

Bhopal 84

Tempo: 27 minutos

Estreia: 03/12, quinta-feira, às 19h

Por onde assistir: YouTube, Instagram e Facebook do Brasil de Fato

Concepção, imagens e entrevistas: Daniel Giovanaz e Poliana Dallabrida

Roteiro: Daniel Giovanaz e José Bruno Lima

Edição: Leonardo Rodrigues

Animação gráfica: Jorge Gabriel Mendes

Arte: Candido Vinícius

Ilustrações: Fernando Bertolo

Edição: Leandro Melito

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome