Luta do SEEB ajuda a diminuir assaltos a banco no MA

14

Assaltos em bancos no Maranhão, reduziram 61,11% aponta relatório do MJSP.

20/03/2024 às 12:13
Ascom/SEEB-MA

O Ministério da Justiça (MJSP) divulgou nessa terça-feira (19/03) um relatório que atesta a diminuição em 61,11% do número de assaltos a bancos no Maranhão em 2023. No ano passado, foram registradas apenas 7 ocorrências bancárias contra 18 em 2022.

A redução dos casos decorre, dentre outros fatores, da luta incansável do SEEB-MA na cobrança dos bancos e do Governo do Estado por mais investimentos e medidas que reforçassem a segurança bancária.

“Em 2011, apresentamos uma proposta de lei que previa a instalação de diversos itens de proteção nas agências, mas o projeto foi vetado pela ex-governadora Roseana Sarney. No Governo Flávio Dino, o mesmo projeto não chegou a avançar na Assembleia Legislativa, mas percebemos a destinação de mais recursos para os serviços de inteligência e para a preparação das polícias com o intuito de combater esse tipo de crime. Quanto às propostas legislativas, continuamos firmes na luta. Atuamos na aprovação da Lei da Vigilância Armada 24h, mas não descansaremos até aprovarmos a Lei de Segurança Bancária outrora vetada para não gerar prejuízos financeiros aos bancos. Um acinte diante do lucro dessas instituições” – afirmou o presidente Dielson Rodrigues.

Vale ressaltar que a redução de assaltos a banco no Estado poderia ser ainda maior, caso as instituições financeiras também atendessem as reivindicações do Sindicato e cumprissem as leis de segurança já sancionadas. Porém, o que se observa no Maranhão é o contrário. O Bradesco, por exemplo, lançou uma reestruturação que visa transformar agências em unidades de negócio. Na prática, a fim de maximizar os lucros, o banco se recusa a instalar portas giratórias e tem reduzido o número de vigilantes em suas unidades, colocando em risco a vida dos bancários e dos clientes. Para combater esse ataque, o SEEB-MA tem apresentado propostas de lei nas Câmaras Municipais do interior do Estado, com o intuito de obrigar o Bradesco a instalar as portas com detectores de metal.

“Em muitas cidades, as leis já foram aprovadas, mas o banco ainda se nega a cumpri-las. Por isso, já estamos estudando as medidas jurídicas cabíveis para punir o banco e proteger a categoria e a população. Por segurança, pelo cumprimento das leis e pela defesa da vida dos maranhenses, a nossa luta continua” – finalizou o diretor Cássio Valdenor.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome