Início Nossa Voz Online Saiu na mídia: Microcrédito do BNB está sob ameaça, afirma presidenta da...

Saiu na mídia: Microcrédito do BNB está sob ameaça, afirma presidenta da AFBNB

170
Confira abaixo matéria publicada no site Reconta Aí, sobre as mudanças no BNB e os riscos para a política de microcrédito orientado da Instituição:

Microcrédito do BNB está sob ameaça, afirma presidenta da AFBNB

Crediamigo e o Agroamigo são duas das maiores linhas de microcrédito da América Latina. Ambas são operacionalizadas pelo Banco do Nordeste do Brasil (BNB), que é uma das instituições que está sob escrutínio do governo Bolsonaro. Em outras palavras, o Banco Público está passando por uma verdadeira ‘caça às bruxas’ promovida pelo Almirante Flávio Rocha a mando do governo. O objetivo é tirar opositores políticos de Bolsonaro dos cargos-chave do Banco Público, mesmo que estes tenham excelente desempenho nas funções nas quais estão alocados.

Rita Josina, presidente da Associação dos Funcionários do Bando do Nordeste do Brasil (AFBNB), acredita que essa política de dispensa ideológica dos funcionários do BNB pode comprometer o funcionamento dos programas. Segundo ela, a retirada do Instituto Nordeste Cidadania (Inec) pode ferir de morte os programas: “A política que está sendo feita em relação ao microcrédito é uma grande ameaça”, afirmou

Josina ressalta que o programa de microcrédito financiado pelo Fundo de Desenvolvimento do Nordeste existe há 22 anos e tem feito uma grande diferença na região que compreende, além dos nove estados do Nordeste, o norte de Minas Gerais. “Com esse discurso que precisa modernizar, precisa alavancar, termina deixando de lado a essência do programa, que é um programa com viés de desenvolvimento, inclusão e democratização do crédito”, opina a presidenta da AFBNB.

Além da intenção eleitoreira apontada pela matéria da Veja de 21 de outubro, o pente-fino de Bolsonaro tem outra intenção, conforme explica Josino: “Entendemos que essa medida está nesse escopo, da privatização e do sucateamento das instituições públicas”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome