Trabalhadores lutam contra perda de salários e administradores do BNB têm previsão de aumento de 26,2%

590



Os trabalhadores bancários de todo o país estão em greve. No segundo dia, o levantamento aponta que a adesão é 40% maior do que no ano passado. A indignação é grande diante de uma proposta que provoca perda real de 4% nos salários.


No Banco do Nordeste do Brasil não é diferente. Pelo quadro do segundo dia, divulgado no site da AFBNB, todas as agências estão paradas em Alagoas, Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Norte. Nos outros estados a greve está aumentando e a tendência é o incremento do movimento, se não houver proposta financeira digna e negociação efetiva de várias demandas históricas, como PCR, Isonomia, Dignidade Previdenciária e de Saúde.


Para mobilizar ainda mais os bancários, repercutiu muito negativamente a notícia de que a remuneração dos administradores de diversos bancos públicos e privados atingirá patamares muito acima daquele oferecido aos bancários. No caso do BNB a previsão é de aumento da verba remuneratória em 26,2% (veja notícia).


Ninguém esquece que nos últimos quatro anos a remuneração dos administradores do BNB teve incremento não comparável aos dos bancários; enquanto os bancários receberam com muita luta 39,2%, o orçamento para remuneração dos administradores do Banco do Nordeste do Brasil teve um incremento de 203%. (Relembre matéria da AFBNB sobre o assunto).


Essa informação quanto ao percentual de aumento da remuneração dos administradores se torna ainda mais contraditória diante da anunciada redução das despesas administrativas no Banco.


Já há indagações chegando à AFBNB quanto à necessária transparência dos critérios para a implantação da medida e quais verbas e/ou atividades seriam atingidas, afora a lembrança da alternativa adotada pela Presidente Dilma Rousseff em relação ao seu salário e ao dos seus Ministros.


Os trabalhadores estão em greve e exigem respeito! Medidas têm que ser adotadas no sentido de que o esforço desempenhado por cada funcionário de forma compromissada com a missão do Banco – que é grande, basta ver o quadro reduzido de funcionários por Unidade – seja reconhecido e recompensado.


A Associação tem feito a sua parte, defendendo em todos os fóruns a importância da garantia da sustentabilidade do Banco, por meio do reconhecimento do recorte regional em todas as suas políticas, programas e projetos do Governo Federal, dentre outras medidas.


Cabe ao Governo Federal e aos administradores do BNB buscarem soluções que venham ao encontro das demandas dos trabalhadores. Enquanto isso não acontece, o chamamento é para que todos venham engrossar a luta, aderindo à greve!


A AFBNB ao lado dos trabalhadores


Gestão Autonomia e Luta


Source: Notícias – 500

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome