Banco ameaça. AFBNB denuncia ao Ministério Público do Trabalho

398



Parece figurinha repetida: todo ano, em toda greve, a direção do Banco decide agir, mas não como a AFBNB e a base esperam. No lugar de encerrar a greve por cima, digamos assim, com uma proposta realmente boa e positiva, tenta forçar o encerramento pelo medo, amedrontando e enviando emails, torpedos, coagindo os funcionários.


E aí não resta outra alternativa à Associação que não denunciar o BNB às instâncias competentes, no caso, o Ministério Público do Trabalho, por prática antissindical e assédio. Foi assim na greve de 2013, na greve de 2014 – ambas as denúncias renderam audiências, envio de provas, contraprovas, enfim, seguem tramitando com o Banco negando de um lado e a AFBNB afirmando de outro – e será assim esse ano.


Algumas atitudes do Banco chegam a ser cômicas para não dizer vergonhosas. A mensagem enviada hoje, por exemplo, para o celular dos funcionários, diz: “O BNB ratifica que seguirá proposta nacional com os reajustes negociados pela Fenaban. Agora é com você. Avalie, reflita e participe das assembleias”.


Ora, ora. E quem está de greve pela proposta nacional ainda? Será que a gestão do BNB não sabe que a greve continua pela ausência de avanços nas demandas específicas? Não saber é ruim para a imagem do Banco, é desconhecer o que afeta o seu maior patrimônio. Por outro lado, saber e fingir que não sabe é o pior dos cenários, pois demonstra desrespeito, descaso , desdém.  Além de tudo, é no mínimo estranho o fato de o patrão convocar os empregados para assembleia.


A denúncia ao MPT foi feita no dia de hoje. No entanto, as evidências que poderão ser apensadas ao documento podem ser agregadas a qualquer tempo. Se você se sentiu coagido a sair da greve, a voltar ao trabalho, se recebeu mensagens por telefone ou emails, encaminhe para a AFBNB (comunicacao@afbnb.com.br).


Os trabalhadores em greve exigem respeito!


Source: Notícias – 500

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome