Muitos desafios na Conferência Nacional

188


A 19ª Conferência Nacional dos Bancários começa nesta sexta-feira (28/07) com a importante missão de traçar estratégias para barrar o avanço das forças neoliberais e impedir que os brasileiros tenham mais perdas. A tarefa não é fácil, mas não é impossível, sobretudo, se a luta for coletiva.


O primeiro debate é sobre o desmonte dos bancos públicos, sexta-feira (28/07), a partir das 17h. O governo Temer já mostrou que não brinca em serviço e o desmonte das empresas segue acelerado. Agências são fechadas, funções extintas, salários reduzidos, postos de trabalho cortados. 


A intenção é clara. Sucatear para privatizar. É fundamental denunciar à sociedade e ampliar a mobilização para impedir que os bancos públicos, fundamentais para o país, sejam entregues ao grande capital.


As mudanças no trabalho bancário estão na pauta. Na agência digital, o funcionário vende por telefone, tem metas absurdas, não tem hora para descansar. A automação dos serviços também eleva as demissões. O avanço tecnológico é a primeira discussão do sábado (29/07).


Depois, a análise é sobre o cenário nacional e internacional, com debate sobre as reformas trabalhista e da Previdência. A lógica do neoliberalismo, muito mais ofensivo do que na década de 90, é perversa e tenta deixar o trabalhador o mais vulnerável possível, para negociar a mão-de-obra a preço de banana. Para impedir, os bancários lançam um plano de lutas, domingo (30/07), na Conferência. 


Source: SAIU NA IMPRENSA – 300

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome