ONU: Desigualdade no trabalho se reflete na contribuição à previdência

271

BRASÍLIA – O oficial de assuntos econômicos da Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe (Cepal), Marcos Chiliatto, afirmou que a reforma trabalhista pode causar desigualdades no mercado de trabalho e, consequentemente, nas contribuições à previdência.

“Economias com maior formalidade são economias em que os trabalhadores possuem maior capacidade de contribuição. Por outro lado, quanto mais informalidade, precarização e rotatividade, menor é a capacidade de contribuição”, disse o representante da Cepal, uma das cinco comissões regionais da Organização das Nações Unidas (ONU).

Ele participa de seminário com o tema “Impactos da Aplicação da Nova Legislação Trabalhista no Brasil”, na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (3).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome