ARTIGO – Depressão, a doença do bancário?

236


Estudo da Organização Mundial de Saúde mostrou que só em 2016, 75 mil pessoas foram afastadas do trabalho em razão da depressão e que até 2020 a doença será a mais incapacitante do mundo. Inclusive, no ano de 2017, no Dia Mundial da Saúde, comemorado a cada 7 de abril, a OMS escolheu o tema depressão.


No Brasil, conforme dados da Previdência Social em relação a afastamentos por auxílio doença acidentário, as causas relativas a episódios depressivos apresentam número relevante de casos de afastamento. Os dados da Interfarma demonstram um aumento de antidepressivos e estabilizantes de humor em torno de 18,2% no ano de 2016, quando comparado com 2015.


Analisando os dados e comparando o ano de 2015 e 2016, identificamos um aumento aproximado de 19,2% em virtude de afastamento do trabalho tendo como causa transtornos mentais. Transtorno mental é um gênero do qual depressão é uma espécie.


Dentre os trabalhadores acometidos de episódios depressivos, os bancários, por laborarem em ambiente extremamente estressante, são uma das principais vítimas. A cobrança excessiva de metas, a pressão diária para vender produtos, a relação muitas vezes nada amistosa com o cliente, todos esses fatores podem ser considerados determinantes para uma crise.


Os dados são alarmantes para a categoria bancária, já que, conforme relatado no ano de 2013, 53% dos afastamentos eram relacionados a transtornos mentais, provocados na grande maioria das vezes, em razão do labor executado. Uma das queixas mais comuns da categoria bancária é justamente o assédio moral e as suas consequências nas relações de trabalho e pessoal. Segundo dados do INSS, no ano de 2013, cerca de 18 mil bancários foram afastados e tiveram como causas principais os transtornos mentais.


Concluímos que a depressão e episódios depressivos são extremamente comuns no dia a dia do bancário, de modo que cabe à Justiça do Trabalho punir os agressores com vistas à diminuir a pressão e melhorar o ambiente de trabalho.


(Por Leandro Colnago Fraga – Advogado, Especialista em Direito Material e Processual do Trabalho).

 


SINTOMAS DA DEPRESSÃO – Sensação de tristeza, autodesvalorização, sentimento de culpa, irritabilidade, tudo parece fútil ou sem real importância, apatia, redução de prazer nas atividades que antes eram agradáveis, fadiga, diminuição da capacidade de pensar, alteração de sono e apetite, redução do interesse sexual, retraimento social, crises de choro e em casos mais graves, ideias de suicídio, entre outros sintomas.

 


Até 2020 a depressão será a doença mais incapacitante do mundo.


75 mil pessoas afastadas do trabalho por depressão em 2016 no País.


Antidepressivos e estabilizantes de humor aumentaram cerca de 18,2% de 2015 para 2016.


18 mil bancários foram afastados do trabalho em 2013 tendo 53% como causa transtornos mentais

 


Source: SAIU NA IMPRENSA – 600

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentário
Seu nome